O que as empresas buscam nos profissionais e vice e versa

O que as empresas buscam nos profissionais e vice-versa

Quanto maiores as semelhanças, melhores são as chances de sucesso

Entre as tarefas dos setores de Recursos Humanos está a seleção de pessoal, que deve ser realizada cuidadosamente a fim de viabilizar a contratação dos profissionais que mais se enquadram às vagas de emprego e ao perfil da empresa.

Por outro lado, os profissionais que estão em busca de uma oportunidade também têm as suas preferências quanto ao tipo de organização na qual desejam trabalhar e, por isso, devem prestar atenção em alguns itens antes de se candidatar a uma vaga.

O que os profissionais desejam em uma empresa pode variar de acordo com sua faixa etária, necessidade ou contexto que está inserido. Contudo alguns fatores são mais comuns, como um bom salário, por exemplo, mas também uma porção de outros itens que fazem uma enorme diferença em suas escolhas:

Visibilidade: a preferência é dada às empresas renomadas, repletas de histórias inspiradoras, que dão mais status ao profissional;

Compatibilidade com a Cultura Empresarial: missão, visão e valores precisam combinar com as características do candidato para que ele se interesse;

Desafios: os líderes precisam fazer com que o profissional saia da zona de conforto para mostrar potencial e reconhecer seu esforço;

Reconhecimento: a gerência deve ser capaz de elogiar e agradecer o profissional por trabalhos bem feitos;

Diálogo aberto: a empresa deve proporcionar possibilidade de conversar, sugerir soluções, pedir auxílio e outras ações diretamente com os gerentes;

Desenvolvimento: investimento em treinamentos para o crescimento pessoal e profissional como os feitos via universidades corporativas são bem-vindos;

Benefícios: vantagens como alimentação grátis, vale transporte, academia e auxílio farmácia, entre outras, ainda são importantes;

Benefícios exclusivos: entradas para shows e eventos, pacotes turísticos para férias e outros mimos são ações que engajam e retêm os profissionais;

Jornada flexível: proporciona mais tranquilidade para os profissionais resolverem problemas pessoais sem comprometer o trabalho.

As organizações, por sua vez, quando acionam o setor de Recursos Humanos para procurarem novos colaboradores, estão pensando em profissionais que tenham habilidades como:

• Flexibilidade: capacidade para se adaptar às constantes mudanças da sociedade moderna e aos diferentes tipos de atividades da corporação;

• Competência: conhecer muito mais que a teoria aprendida nas escolas e faculdades, isto é, deve saber fazer na prática ou aprender rapidamente;

• Multifuncionalidade: salvo exceções, o profissional deve saber fazer bem várias atividades em vez de ser especialista em apenas uma;

• Empreendedorismo: ter a capacidade de arriscar novas soluções que otimizem os produtos, os serviços e os processos de trabalho da companhia;

• Interpessoal: ter equilíbrio emocional para trabalhar em equipe, atuar fora da zona de conforto e lidar com pressões de todos os tipos;

• Paixão: amar as atividades que realiza, comprometer-se com os negócios e ter valores compatíveis com os ideais da empresa;

• Autodesenvolvimento: demonstrar que tem interesse em se aperfeiçoar pessoal e profissionalmente;

• Proatividade: tomar atitudes e decisões na hora certa e adequadamente a fim de proporcionar mais valor aos clientes da companhia;

• Comprometimento: capacidade de se responsabilizar pela realização de atividades e de gerar bons resultados.

Enfim, quanto mais as características dos profissionais que estão em busca de emprego e das empresas que estão fazendo seleção de pessoal se encaixam, melhores são os resultados para ambos, que alcançarão a plenitude de seu desenvolvimento e, consequentemente, o sucesso ao longo de seu ciclo de vida no trabalho.

ebook-5-maneiras-de-motivar-e-engajar-colaboradores

Categorias