quebra de caixa

Entenda o que é quebra de caixa e como funciona na prática

Com a expansão da nossa sociedade não é de se espantar os diversos trabalhos que surgiram. E com isso é evidente que se fez necessário a criação e implementação de direitos específicos que fossem capaz de suprir a necessidade de cada área.

Foi pensando nisso que criamos esse post dedicado a pessoas que trabalham na função de caixa e até mesmo você empresário que possui funcionários dedicados a essa função.  

Continue conosco nessa leitura explicativa e  entenda tudo o que é necessário sobre a quebra de caixa!

Leia mais – Veja como obter melhores resultados em vendas com treinamento de produto

quebra de caixa

O que é quebra de caixa?

Antes de entender todas as questões que permeiam a quebra de caixa, é necessário entender o que de fato isso significa.

Acontece que em muitas carreiras os profissionais recebem algum tipo de remuneração extra devido às suas situações de trabalho. Por exemplo, um vigia noturno que recebe adicional noturno devido ao horário ou um lixeiro que por estar exposto a diversos tipo de dejetos ganha o adicional de insalubridade.

Este mesmo conceito é aplicado aos profissionais de caixa. Relacionado ao risco existente de cometerem erros na hora de conferir a entrada e saída dos recursos ao longo da sua jornada de trabalho.

Também pode ser do seu interesse – Saiba qual é o conhecimento em vendas necessário a qualquer vendedor

Quem tem direito à quebra de caixa?

Este benefício é feito para englobar todos aqueles que possuem contato direto com o dinheiro da empresa. Incluindo caixas de supermercados, lojas, bancos e assim por diante.

Leia também – Aprenda como liderar uma equipe de vendas eficiente com nossas dicas

Como funciona a quebra de caixa?

A quebra de caixa funciona de uma forma muito específica. É necessário que o funcionário e empregador estejam ciente de como ela funciona. Isso garante que os colaboradores recebam o que lhes é devido e o empregador não gaste mais do que deve, evitando assim prejuízos.

Para estar ciente de como funciona a quebra de caixa é precisa entender os seguintes tópicos:

Quebra de caixa segundo a lei

Antes que você empregador se desespere pensando no gasto e você colaborador pense que está sendo passado para trás é importante dizer algo. Por exemplo, segundo a lei as empresas não são obrigadas a realizar o pagamento da quebra de caixa.

Acontece que segundo a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), onde estão reunidas as leis sobre a relação entre empregado e empregados, não consta nenhuma leia adicional sobre esse adicional. Tornando-o assim eletivo por parte das organizações.

Outro ponto importante de se ressaltar é que por mais que esse adicional não seja obrigatório, diversos sindicatos pressionam as grandes empresas a fim de se estabelecer pelo menos um acordo sobre o tema.

Valor a ser pago na quebra de caixa

Como relatado acima não existe uma obrigatoriedade em pagar esse adicional.  Com isso também não foi estabelecido um valor determinado para o pagamento desse benefício.

Sendo assim o empregador pode pagar qualquer valor que lhe convier.

Consequentemente não há um limite legal sobre isso. Se o empregador quiser pagar 10 reais assim será, se quiser pagar 1000 reais também é uma decisão que só cabe a ele.

No entanto, caso a organização entre em um acordo com seus funcionários ela não podera voltar atrás com essa definição, sem que todos os envolvidos estejam de comum acordo.

Isso vale tanto para o valor a ser pago quanto a forma que os funcionários irão receber a quantia definida.

Outro item que deve ser respeitado é o regime da empresa sobre isso, ou seja, caso o regimento interno tenha delimitações sobre o tema, ele deve ser respeitado.

Integração do salário ao quebra de caixa

Nesse tópico em particular a quebra de caixa pode ser diferente para uma subdivisão dos operadores de caixa. Isso ocorre pois, segundo o Tribunal superior do Trabalho (TST), a parcela referente a quebra de caixa possui uma natureza salarial para os funcionários dos bancos.

Com isso os tribunais, por diversas vezes, estendem o mesmo entendimento para os operadores de caixas de outras áreas. Fazendo com que toda vez que a empresa paga esse valor ao ao seus funcionários, seja considerado parte do salário.

Sendo assim esse valor passa não somente a integrar o salário, mas também outros benefícios como décimo terceiro salário, horas extras, férias e qualquer outro adicional que o funcionário receba.

Descontos

É importante estar atendo para os possíveis descontos. Afinal, é natural e até mesmo esperado que a empresa realize descontos dos salários dos seus funcionários. Esses referente a plano de saúde, vale transporte e etc. No entanto, a empresa não deve e não pode realizar nenhum desconto na verba adicional. Exceto se estiver previsto por lei, o que não é o caso da quebra de caixa.

Com todo esse material você já está totalmente pronto para analisar suas finanças. Seja você empregador ou empregado.

Empresários, lembrem-se que apesar da quebra de caixa ser opcional ela é uma ótima ferramenta para elevar o desempenho dos seus funcionários.

Já você empregador que deseja receber a quebra de caixa, análise o regime da empresa. Converse com seu supervisor ou até mesmo com seu sindicato. No entanto, tenha em mente que além de ser algo opcional o empregador pode decidir pagar a quantia que lhe convier.

Complemente com – Cálculo de rescisão: saiba como calcular a rescisão trabalhista do seu funcionário

E se mesmo com todas essas dicas você ainda possui dúvidas sobre o assunto, não se acanhe. Para resolver suas dúvidas basta deixar seu comentário logo abaixo e nós ajudaremos você em tudo que for necessário!


Categorias