Ensino à distância: saiba como se dar bem

O número de matriculados em cursos de EAD subiu. Saiba quais cuidados tomar e como aproveitar melhor

O desenvolvimento de aplicativos e aparelhos eletrônicos ultrapassou as redes de comunicação social e abriu uma oportunidade para quem procura melhorar o currículo, mas não tem tempo para frequentar aulas presenciais. Os cursos de EAD (Ensino à Distância) são uma tendência que cresce a cada ano.

De acordo com dados divulgados no fim de 2011 pelo Censo da Educação Superior, o número de matriculados nesse tipo de curso cresceu 170 vezes na última década, chegando ao recorde de 930.179 estudantes.

Diversos fatores contribuem para esse quadro, principalmente a mensalidade mais barata do que os cursos presenciais. Além disso, segundo José Moran, diretor de EAD da Faculdade Anhanguera, outro ponto importante é a flexibilidade nos horários. “O EAD ajuda na formação do estudante, pois oferece uma flexibilidade para o estudo e uma possibilidade de compatibilizar vida pessoal, família e trabalho com a área acadêmica”, diz.

Porém, algumas atenções devem ser tomadas para um bom aproveitamento do material virtual. Para isso, Moran afirma que outra dica é estar disposto ao estudo. “No mínimo, a pessoa tem de estar motivada para crescer e se atualizar. Desta forma, o bom perfil é de uma pessoa adulta, com mais experiência de vida. Ela vai aproveitar mais do que um estudante que acabou de se formar no ensino médio, pois tem mais responsabilidade”, ressalta o professor.

Já Arthur Sperandeo de Macedo, vice-reitor da FMU, considera que deve haver uma rotina de estudo, levando a uma autodisciplina do estudante. “Obviamente, os matriculados nesses cursos procuram conhecimento, mas possuem dificuldades de deslocamento e horários. Portanto, o estudante deve criar uma rotina, desenvolvendo um momento dentro do seu organograma de atividades para acessar os materiais.”

Para Rosângela Ferreira Belo, profissional de 30 anos que concluiu recentemente uma pós-graduação na área de Gestão de Pessoas, o diploma possibilitou uma inserção no mercado de trabalho. “Com a pós, consegui uma vaga como tutora universitária”, conta Rosângela, afirmando em seguida que graças aos benefícios obtidos com o curso, sua trajetória acadêmica ainda não acabou: “Pretendo fazer um curso de tutoria à distância, para me tornar uma professora na área de ensino a distância.”

Fonte: Diário de S. Paulo

Categorias