O futuro da educação pode estar nas nuvens

Paulo Iudicibus, diretor de novas tecnologias da Microsoft, afirma que cloud computing será tendência no ensino

O termo, embora já bastante conhecido no mundo da tecnologia, começa aos poucos e timidamente a adentrar a sala de aula. O cloud computing (amigavelmente conhecido como computação em nuvens) permite que usuários da internet possam armazenar seus arquivos remotamente e compartilhá-los de qualquer lugar sem que seja necessário qualquer instalação. Na educação, a ferramenta pode servir para baratear os custos com parques de computadores em rede nas instituições de ensino, ajudar professores a planejar e organizar suas aulas ou até mesmo apoiar estudantes para que realizem trabalhos, de modo interativo – tudo de forma remota. “A conexão via nuvem será uma tendência”, enfatiza Paulo Iudicibus, diretor de novas tecnologias da Microsoft que mediará o painel que aborda inovações em educação no Geduc 2013, evento que destaca educação 3.0 na gestão escolar, que acontece em SP, de 20 a 22 de março.

“De maneira pragmática, todo conteúdo pode estar na nuvem, portanto, seguro e acessível a qualquer lugar, independentemente do dispositivo. Tem alunos que querem usar o equipamento do tipo a, outros do tipo b. Usar ou não o tablet é irrelevante. O importante é o conteúdo, a colaboração em qualquer espaço”, diz.

É o caso dos estudantes, por exemplo, que podem realizar seus trabalhos de modo simultâneo, editar e até conversar em um mesmo arquivo, à distância, sem a necessidade de encontros presenciais. Já os professores podem usar o sistema para corrigir os trabalhos on-line de seus alunos de qualquer lugar a partir de um dispositivo móvel com acesso à internet, administrar o calendário de aulas do ano letivo ou até mesmo abrigar os conteúdos de suas aulas, compartilhados com seus alunos.

Fonte: porvir.org

Categorias