herospark-midi-banner-venda-seu-produto-digital

Segundo a Neotrust, no primeiro trimestre de 2021, foram feitas 78,5 milhões de compras online no Brasil. Esse número representou um aumento de 57,4% em relação ao mesmo período de 2020.

Se você percebe uma boa oportunidade em investir nesse meio, mas não sabe como se manter em alta com tantas grandes empresas já dominando esse mercado, então, o livro  “Vender na Internet: Segredos Para Vender Muito!” tem muito para te ensinar. 

O autor desta obra, Anderson Höfelmann, também poderá te ajudar, com os fundamentos apresentados, caso esteja sentindo que seu e-commerce não está apresentando resultados satisfatórios. Seu investimento não foi em vão, basta entender a volubilidade cibernética e usá-la a seu favor.

Fato é, vale a pena persistir na busca por sucesso nessa “nova” forma de comércio. Segundo o mesmo relatório já citado, as transações via web renderam um faturamento de R$ 35,2 bilhões entre janeiro e março de 2021, valor 72,2% maior do que o mesmo período  em 2020. 

O crescimento vem a passos largos, e seu sucesso também, basta adotar os conselhos a seguir!

1. Se coloque no lugar do outro

Para começar, o autor faz um convite que pode ser um tanto complicado, mas que exerce toda a diferença nos primeiros passos para revolucionar seu negócio online. Faça, você mesmo, uma análise profunda de seu produto. A grande dificuldade é fazê-la a partir de um ponto de vista em terceira pessoa. 

É natural que erros passem despercebidos quando revisamos uma produção própria. Mas, com uma clientela diversa, cada detalhe pode fazer a diferença. Por isso, estude seu público-alvo, identifique quais são suas prioridades e suas maiores necessidades. Assim, você será capaz de direcionar a atenção para possíveis falhas.

Como adicional, esse estudo permite, também, saber onde seu negócio digital possui mais pontos fortes do que a concorrência. Assim, você pode explorar esses pontos e elaborar melhores estratégias para convencer o consumidor.

E, se você pensa que um erro ou outro não fazem tanta diferença nas vendas, está enganado. O julgamento precisa ser crítico. Mesmo que você já tenha despendido muito tempo naquele aspecto, não se contente em simplesmente conviver com os erros

2. Espalhe a palavra

Para você chegar até este texto, muito provavelmente, foi graças a algum tipo de divulgação. Da mesma forma acontece com quem chega até sua loja virtual. Então, para aumentar o tráfego, divulgue! Mas, calma, essa divulgação não precisa mexer no seu orçamento.

Consegue pensar qual é a maneira mais fácil, prática e — ao menos a primeira instância — gratuita para ser conhecido e se relacionar com interlocutores variados, hoje em dia? Para 70% dos brasileiros, durante uma média de 3 horas e 42 minutos por dia, são as redes sociais.

Isso é o que indica um estudo feito pela plataforma Cupom Válido, baseado em dados da Hootsuite e We Are Social. Já a pesquisa Social Commerce, mostrou que 76% dos consumidores utilizam as redes para pesquisar produtos. As principais plataformas são o Instagram (62%), Facebook (61%) e Google Shopping (61%). 

Pelo menos 8% dos consumidores online chegam até a realizar a compra pelas redes sociais.

Dessa forma, otimizar o seu site é fundamental. A técnica de SEO, com o uso de palavras-chave, títulos atrativos e URLs curtas e simples, faz total diferença no posicionamento em sites de busca. Para monitorar o progresso das táticas, a ferramenta Google Analytics é uma opção gratuita.

3. Ofereça atrativos

Não há como negar que um dos pontos principais na hora de tomar a decisão de compra é o preço. Portanto, essa deve ser também uma das suas prioridades ao colocar seu produto no mercado. Pesquise a faixa de preço da concorrência e se adeque para não começar em desvantagem.

Com o surgimento de novas formas de pagamento, oferecer diversas opções na hora de finalizar a transação garante mais estabilidade ao seu empreendimento. Você, com certeza, não quer perder um cliente logo nos momentos finais, tão próximo de fechar negócio, por um detalhe como esse.

O que não pode ser feito é comprometer o orçamento da empresa, em uma busca inconsequente por oferecer o melhor preço. Se for o caso, abra mão do que não tem surtido o retorno esperado e redirecione as finanças.

Agora, quem não gosta de uma boa promoção? Essa pode ser a saída para construir uma freguesia fiel. Dê descontos periódicos e ofereça cupons, sempre enfatizando o valor economizado, não o percentual. Atenção, essas ações devem ser rotacionais. Se o preço cai por muito tempo, deixa de ser um desconto e passa a ser o normal.

4. Saiba como convencer

Se seu negócio oferecer bom atendimento, produtos de qualidade e preços atrativos, então, está pronto para competir no mercado, certo? Errado! Essas são as condições mínimas para entrar na disputa. Para se destacar dos concorrentes, você precisa convencer o cliente. Venda a ideia do produto, mais do que ele próprio.

Conecte-se com a realidade do comprador, através dos dados auferidos no segundo fundamento, por exemplo. Saiba o que ele busca, é aí que estará sua vantagem. 

A divulgação conquistada também será útil para que novos consumidores vejam avaliações prévias e se sintam mais seguros em comprar. Também nesse sentido, emitir um certificado digital de segurança torna as compras mais tranquilas para quem visita seu site.

Agora, é hora de arrematar o diferencial do seu negócio eletrônico. Defina um quesito em que o consumidor terá uma vantagem que não encontra normalmente em outros lugares, como o frete grátis, por exemplo. Além disso, surpreenda-o, oferecendo algo a mais, como entregar antes do prazo estabelecido.

5. As aparências não podem enganar

Você já se deparou com alguma peça publicitária em que o produto parecia uma coisa extraordinária, e acabou se decepcionando quando o viu pessoalmente? Então, imagine como essa situação se agrava quando você só vê a mercadoria no momento em que ela chega na sua casa, com o pagamento já concluído.

Por isso, informe todos os detalhes do que está sendo vendido. Deixe claro as especificações e esteja sempre disponível para responder às dúvidas que chegarem pelos canais de contato. É preciso, claro, ter pleno conhecimento sobre o que está vendendo.

Oferecer um site simplificado e objetivo não é interessante apenas para obter maior alcance, mas, também, para fornecer uma experiência sem maiores preocupações para o comprador.  

Por fim, ter uma política de trocas é, antes de tudo, ético. Além disso, diminui um pouco o receio de quem compra, já que, caso o resultado não seja como o esperado, ninguém sairá prejudicado. 

6. Trabalhe e repita

Agora que você, finalmente, depois de muito esforço, conseguiu implementar todos os fundamentos listados até aqui, o trabalho para ter vendas bem-sucedidas na internet, ainda não acabou. E nem vai. O autor, Anderson Höfelmann, diz que “nada é ou está tão bom que não possa ser melhorado”

Então, analise constantemente, identifique os problemas, corrija os erros e sempre priorize o melhor atendimento ao cliente. Esse processo não muda.

Nesses momentos, expanda seus horizontes. Enxergue sua loja virtual como se estivesse do outro lado da transação. Ainda com esse objetivo, busque conhecimento, pois nunca é demais. Estude sobre empreendedorismo em uma perspectiva geral, e também focada na sua própria área.

Defina uma periodicidade para repassar pelo ciclo, criando uma rotina de melhoria da performance.

Venda como se fosse comprar!

Do mesmo jeito que acontece em empresas físicas, nas virtuais, o cliente também deve ser a prioridade.

Nesse caso, você ainda terá a vantagem de receber o feedback dos clientes de maneira explícita e fundamentada. Dê valor a esse trunfo. Utilize-o para aprimorar suas vendas de forma certeira.

Além disso, faça uso dos medidores de sucesso disponibilizados por diferentes plataformas. Muitas vezes, eles fornecem dados numéricos mais completos do que os utilizados por empreendimentos físicos.

Lembre-se de ser autocrítico. Assim como a própria internet passa por inovações constantes desde seu surgimento, o mesmo deve acontecer com um negócio que esteja inserido nela.

Não tenha medo de reestruturar o que não estiver dando certo. Grandes empresas são feitas na inteligência de seus comandantes, e, nas palavras de Stephen Hawking, “inteligência é a capacidade de se adaptar à mudança”.

Este post foi produzido pela equipe do PocketBook4You, uma plataforma que oferece centenas de resumos de livros dos maiores autores e best-sellers da atualidade, e tem como principal missão levar conhecimento diversificado que se encaixa no dia a dia de cada um dos seus usuários, ao redor do Brasil e do mundo!

herospark-bottom-banner-venda-seu-produto-digital

Categorias