Cursos Online

4 Dicas para converter seus cursos presenciais para o formato EAD

Diversos profissionais de e-learning querem converter seus cursos presenciais para o formato EAD. Entretanto, muitos deles sempre cometem os mesmos erros. Eles acreditam que o simples fato de mover seus conteúdos digitais para uma plataforma LMS já é o suficiente para fazer a conversão dos cursos presenciais para cursos EAD. Na verdade, eles apenas colocaram o mesmo curso presencial num formato digital.

Então, veja 4 dicas para converter seus cursos presenciais em cursos online.

Identifique o formato do curso online

Um curso presencial pode ser convertido para 3 tipos de cursos online:

  1. Aprendizado Assíncrono: A interação entre os instrutores e os estudantes ocorre com um delay. Por exemplo: Emails, fóruns, entregas e feedbacks de trabalhos.
  2. Aprendizado Síncrono: Quando a interação entre aluno e instrutor ocorre em tempo real. Geralmente nestes casos, há um professor que atua como tutor pelas ferramentas de chat online e até mesmo aulas ao vivo. Além disso, a aulas devem ter avaliações com deadlines programados.
  3. Aprendizado Híbrido: Combina características do aprendizado assíncrono e síncrono. Seria o ideal, pois facilita que o aluno construa seu próprio ritmo de aprendizado dentro do curso, entretanto, isso vai depender do seu modelo de negócio. Uma pergunta que você deve levantar é “Qual é o melhor formato online para mim?”. E uma boa alternativa para responder esta questão é focar nos objetivos do curso e nos objetivos dos seus alunos.

Uma vez identificado o formato do curso online, adapte as ferramentas de comunicação, seus conteúdos e avaliações para este padrão.

Pesquise os Modelos de Design Instrucionais.

Você deve estar se perguntando “Por que é tão importante utilizar Modelos de Design Instrucionais (MDI)?” e a resposta é bastante simples. Porque com o uso de MDI’s você garante que o aprendizado ocorra de maneira mais garantida, assertiva, e espontânea. Ao mesmo tempo, você facilita o processo de aprendizado fazendo com que os estudantes precisem de menos tempo de estudo, diminuindo riscos e o investimento de energia, tanto para os que aprendem quanto para os que ensinam.

Em todo caso, vale lembrar que para encontrar um modelo de Design Instrucional que combine com os objetivos do seu curso, você precisa realizar as sua própria pesquisa. Mesmo assim, separamos algumas dicas que podem ajudá-los neste processo.

Utilize Interação

A interação é o aspecto mais importante num curso à distância. Segundo Moore (1989), existem 3 tipos de interação:

  1. Estudante e Conteúdo: É a interação que o aluno terá com os conteúdos do curso. Isso pode afetar o ritmo de aprendizado que o estudante terá ao londo do curso.
  2. Estudante e Instrutor: Interação entre o aluno e o professor/tutor. Muito comum em fóruns para dúvidas, troca de e-mails, entregas de trabalhos e aulas ao vivo.
  3. Estudante e Estudante: Quando os alunos interagem entre si. Muito comum nos chat online e outros processos colaborativos no ambiente digital, como discussões e construção colaborativa de conhecimento.

Os tipos de interação que existirão dentro do seu curso online dependerão do formato do seu curso online (objetivos e conteúdos) e do MDI que será utilizado. Lembre-se que o aprendizado tende a ser mais efetivo quando os estudantes possuem uma participação ativa com o material e com o ambiente.

Revisão dos Processos

Depois de você converter seus cursos presenciais em cursos online, você deve achar que já é hora de oferecê-los aos seus estudantes. Errado! Você deve revisar cada etapa do seu curso online antes de ofertá-lo aos seus estudantes.

Então, segue um passo a passo para você realizar esta revisão:

  1. Crie Pesquisas: Realize pesquisas com usuários para receber um feedback de cada módulo de seu curso para as seguintes áreas: Design do curso, design do site, navegação e aspectos visuais. A pesquisa deve ser tanto qualitativa (respostas curas) e qualitativa. Utilize tópicos como usabilidade, design da interface, acessibilidade, análise de público, materiais do curso, padrões de design instrucional.
  2. Implemente um Ambiente Alpha: Crie ambientes alpha para utilização do curso e convide/contrate profissionais das áreas de design instrucional e desenvolvimento para realizar alguns testes e passar um feedback mais técnico.
  3. Revise Novamente: Com o feedback técnico implante as modificações que forem necessárias para a adaptação do seu curso.
  4. Crie um Ambiente Beta: Convide novamente profissionais para realizar os testes no seu curso e coletar as últimas correções necessárias.
  5. Implemente as Últimas Correções: Depois de pegar um último feedback técnico, adicione as correções que forem necessárias para o seu curso online.
  6. Acompanhe o Desempenho e Feedback dos Alunos: Sempre procure por atualizações para seus cursos, baseando-se no feedback dos seus alunos sobre os materiais e processos dentro do curso.

[cta id=”1748″ vid=”0″]

Categorias