O número de pessoas em busca de uma escola de cursos profissionalizantes para se prepararem para o mercado de trabalho tem crescido a cada ano. De acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, divulgada pelo IBGE (2014), 40 milhões de brasileiros tinham interesse em fazer cursos de qualificação profissional. Isso porque esses cursos, em sua grande maioria, oferecem um cronograma mais curto em relação aos cursos universitários e um conteúdo mais prático e dinâmico.

Para suprir essa demanda, vários profissionais apostaram em compartilhar seus conhecimentos e práticas de mercado e, com isso, criar suas próprias escolas de cursos profissionalizantes. Se você é uma dessas pessoas, parabéns, você está entrando em um segmento e tanto!

Mas você deve estar se perguntando:

  • por onde começar?
  • Como não cair nos erros mais comuns?
  • É preciso muito investimento?
  • Como começar com algo rápido sem muito risco para testar o modelo de negócio?
  • Como atrair mais alunos para escalar a minha escola?

Antes de responder tudo isso, precisamos voltar na base e nos lembrar de que “se quiser derrubar uma árvore na metade do tempo, passe o dobro do tempo amolando o machado”.

Pois bem, criar uma boa escola de cursos profissionalizantes exige um bom planejamento por trás. Por isso, para te ajudar a ter sucesso no seu negócio, fizemos um passo a passo do que você precisará para dar um pontapé rumo aos bons resultados.

Como abrir uma escola de cursos profissionalizantes: planeje o seu negócio

1.Analise bem o mercado que você vai entrar

Existem diversas escolas de cursos profissionalizantes no mercado e, para decidir a área de ensino que você irá atuar é preciso muita pesquisa! Mas, já pensou em qual área de ensino você irá atuar?

Para facilitar a sua visualização, vamos te dar alguns exemplos, como: marketing, vendas, gestão de pessoas, programação, etc. É claro que, dentro da área que você escolher, é possível fazer diversos desdobramentos de conteúdo.

Neste momento, você também deve pensar se irá optar por entrar em um mercado de nicho, apostando em um conteúdo mais personalizado para um público pequeno, porém fiel, como é o caso do Brasil Postos, que oferece cursos com práticas relacionadas ao gerenciamento de postos de gasolina. Ou se irá para o mercado de massa, com temas mais amplos e com um público maior, como um curso de inglês, por exemplo. Para te ajudar a decidir, o ideal é que você faça uma pesquisa de mercado.

As formas de fazer uma pesquisa de mercado são várias e vão desde um questionário online até as consultorias especialistas no tema, caberá a você (e ao seu orçamento) decidir pela opção que faça mais sentido para o seu negócio.

Se você optar por um questionário online, existem diversas ferramentas (pagas e gratuitas) que podem auxiliar você, como:

  • SurveyMonkey
  • Google Forms
  • Typeform
  • LimeSurvey

A construção do seu questionário irá variar de acordo com o segmento de ensino que você escolher e do tipo de informação que você quer colher, se é qualitativa ou quantitativa. Entretanto, existem algumas perguntas gerais que você pode fazer, como:

  • Qual a sua idade?
  • Qual o seu gênero?
  • Qual a renda média das pessoas que moram com você?
  • Onde você mora?
  • Está disposto a gastar até quanto em uma escola de cursos profissionalizantes?

2. Identifique o público para o seu curso

Nesta etapa, você precisa saber qual é a sua persona, isto é, para quem você vai produzir o seu curso e para quem você irá vendê-lo depois. Quem é o seu aluno?

Para isso, é necessário que você identifique o seu público-alvo e a sua persona. Achou que os dois fossem a mesma coisa?

O público alvo é composto pela definição social, demográfica e sócio-econômica das pessoas que você quer alcançar. Aqui, os dados analisados são mais generalistas, como:

  • Região do país onde mora
  • Idade
  • Renda média
  • Formação
  • Estado civil

Já a sua persona é o que você poderia chamar de cliente ideal para o seu negócio. Na hora de definir, você pode definir:

  • Nome
  • Idade
  • Hábitos
  • Formação
  • Interesses
  • Profissão
  • Estilo de vida
  • Valores

Para você visualizar melhor, separamos dois exemplos: o primeiro, é de um público alvo; enquanto o segundo é de uma persona. Repare bem a diferença entre os dois.

Cariocas, moradores da zona sul, entre 18 e 25 anos, solteiros e com renda média de R$4mil.

Juliana tem 25 anos, mora no bairro de Moema, em São Paulo, é casada e tem dois filhos. Ela trabalha em um banco durante o dia e, à noite, se divide entre a pós e o cuidado com a casa e a família. Aos finais de semana, Juliana gosta de visitar os pais em uma cidade do interior.

3. Defina a estrutura do seu curso

O próximo passo para abrir sua escola de cursos profissionalizantes é pensar na estrutura do seu curso, que deverá considerar:

  • A forma como o conteúdo será dividido, isto é, se serão por:
    • Módulos
    • Semestres
    • Aulas avulsas
    • Horas
    • Pacote com o curso inteiro
  • A maneira que seus alunos irão ingressar na sua escola:
    • Prova
    • Entrevista
    • Análise de currículo
  • Os turnos em que os cursos serão ofertados:
    • Noturno
    • Diurno
    • Vespertino
  • Período de inscrições:
    • Anualmente – ou em algum outro período mensal
    • À medida que fecharem as turmas

4. Infraestrutura e local

Analise bem a infraestrutura do local físico que irá abrigar a sua escola de cursos profissionalizantes, pois ele deverá levar em conta:

  • O número de alunos que você pretende matricular
  • Se oferece segurança aos alunos
  • Se a localização é de fácil acesso e próximo ao transporte público
  • O fluxo de pessoas na região, até mesmo para trabalhar a imagem da escola
  • Se existe locais de alimentação nas proximidades

A definição da sua infraestrutura dependerá, também, do tipo de curso que você irá ofertar. Se você optar por um curso de enfermagem, por exemplo, é fundamental que você opte por um local possibilita aulas práticas. Agora, se você optar por um curso de programação, você deverá se preocupar apenas com uma sala com uma lousa e computadores.

5. Marketing: como atrair os alunos certos

À medida que o número de alunos interessados em estudar em uma escola de cursos profissionalizantes cresce, aumenta também o número de locais que ofertam cursos neste formato. E é aqui que entra o marketing: ele será responsável por destacar a sua marca para que você atraia mais – e melhores – alunos.

Lembra da sua pesquisa de mercado e do seu estudo de personas? Pois bem, são eles que irão guiar a sua estratégia de marketing. Se você identificou que o seu público está, em sua maioria, no ensino médio, uma boa dica é investir em parcerias com escolas, por exemplo.

Agora, se você identificou que o seu público é usuário frequente da internet, investir no marketing digital pode ser um caminho para você. Isso, é claro, se o retorno que você tiver a partir das suas estratégias for maior do que o investimento que você fizer.

No marketing digital, existem alguns canais que podem dar mais visibilidade para sua escola de cursos profissionalizantes e atrair o maior volume de alunos, como Facebook, LinkedIn e Google, por exemplo. A escolha e a forma que você irá trabalhar neles dependerá dos resultados da sua pesquisa de mercado e análise de persona.

Mas, no marketing digital não se pode ter medo de testar as estratégias. Essa é a forma de você poder ver e analisar os seus resultados. Aposte em alguns canais e calcule seu ROI (Retorno Sobre Investimento) , só assim você saberá quais são os canais mais rentáveis.

Por exemplo, você pode criar pílulas de conteúdo no Youtube para direcionar as pessoas para a sua escola de cursos profissionalizantes. Um blog com artigos relacionados ao tema do seu negócio, aliado a uma boa estratégia de SEO (Search Engine Optimization), colocará você no topo das pesquisas no Google e, por isso,  atrairá um público muito mais qualificado para o seu curso.

Leitura complementar: Como definir o aluno ideal e criar um planejamento para conquistar sua persona.

6. Investimento

Esta é a parte que pode frear o sonho de algumas pessoas empreenderem. Os custos para abrir uma escola de cursos profissionalizantes podem ser altos em um primeiro momento, afinal, estamos falando em um investimento grande em:

  • Obras do local, caso necessite
  • Licenças públicas para funcionamento do local
  • Impostos sobre locação ou compra do imóvel
  • Equipamentos técnicos que proporcionem um ambiente de aprendizado ideal
  • Equipamentos básicos, como: lousa, cadeiras e mesas
  • Contratação de funcionários para tocarem a operação local

Em alguns casos, o investimento inicial é tão alto que, ao repassá-lo aos alunos para cobrir os custos, o que aumenta os valores das taxas que esses alunos pagariam, pode impactar diretamente na atração e retenção de novos estudantes.

Você também pode se interessar pelo webinar sobre: Como criar um curso online gastando pouco

Por isso, uma boa forma de cortar esses custos ou até mesmo para testar o mercado, é iniciar a sua escola de cursos profissionalizantes no modelo online, a partir do ensino a distância (EaD). Quer saber como? Nós te falamos!

Por que investir em EaD

O ensino a distância (EaD) surgiu para que pessoas que não podem entrar em uma rotina de ensino tradicional, isto é, se deslocar todos os dias até uma instituição, também pudessem se qualificar. Isso porque por meio do EaD, é possível consumir um conteúdo de qualidade usando apenas um dispositivo conectado à internet, ou seja: você pode estudar enquanto está no metrô, no ônibus, em casa ou no trânsito.

Os cursos no modelo online também traz vantagem para o produtor em função do baixo investimento inicial, se comparado a abrir uma escola de cursos profissionalizantes em um espaço físico, por exemplo. Isso porque não exige custos com licenças, infraestrutura física e manutenção.

Por isso, listamos alguns benefícios em abrir a sua escola de cursos profissionalizantes EaD!

  • Investimento inicial menor se comparado ao curso presencial;
  • Maior distribuição do conteúdo: você pode alcançar alunos do mundo inteiro;
  • Sem necessidade de se preocupar com aluguel de espaço físico e infraestrutura;
  • Sem limitação de número de alunos em função de espaço;
  • Capacidade de funcionamento com uma equipe reduzida;
  • Mais comodidade para o aluno e para o professor;
  • Economia de tempo com deslocamento;
  • Maior diversidade de alunos, já que é possível que pessoas de diversos lugares se conectem.

Ah, mas para ter um bom curso de EaD, é fundamental que você tenha bons parceiros do seu lado. Então, convidamos você a conhecer a EADBox, uma plataforma completa para a hospedagem e a venda do seu curso.

A EADBox é integrada com a maior rede de afiliados do país, o que favorece o aumento das vendas.

Além disso, ela oferece o sistema de pagamento próprio, o que faz com que você não precise pagar grandes taxas para outros meios de pagamento e oferece um sistema simples de customização: é possível começar a vender seus cursos em 5 minutos!

E aí, agora que você já sabe tudo sobre como abrir uma escola de cursos profissionalizantes, o que está esperando para tirar sua ideia do papel?

Fale com um de nossos consultores e garanta uma consultoria gratuita.


Categorias