Tudo o que você precisava saber para o seu curso online ser um sucesso.

Guia: Tudo o que você precisa saber para o seu curso online ser um sucesso

Se você está criando seu curso online do zero ou está pensando em desenvolver uma vídeo aula como o seu próximo negócio, ou até mesmo utilizar desta modalidade de conteúdo para complementar a sua renda no final do mês, você precisa saber de algumas coisas fundamentais. Neste texto você vai saber tudo o que precisa para o seu curso online ser um sucesso.

Existem vários fatores que vão determinar o sucesso da sua vídeo aula, e o primeiro deles é você tirar a sua ideia do papel. Executar os seus planos de vida e não desistir do seu sonho é essencial para produzir um conteúdo de qualidade. Fazer o que gosta é recompensador e tende a dar mais resultado do que fazer determinada tarefa por dinheiro, por exemplo.

 

Como planejar minha vídeo aula?

Uma vídeo aula precisa ser interessante e cativar o aluno a ponto dele conseguir absorver um conteúdo que seja aplicável em seu dia a dia. Por isso, antes de produzir a sua vídeo aula é importante se atentar ao seu plano de aula. Faça uma lista de assuntos que você acredita ser especialista e que acredita ter um conteúdo que vá agregar aos seus alunos; na sequência, risque os temas que você possui menos conhecimento até sobrarem apenas três.

Com os três temas que sobraram, se você não conseguir identificar o tema da sua aula ao bater o olho, faça o seguinte exercício: separe os temas que você iria abordar de cada um destes temas e vá aprofundando cada vez mais, até encontrar o assunto que você se sente mais confortável em falar em público – embora durante a gravação você esteja sozinho, lembre-se o que o mundo inteiro pode vir a consumir sua vídeo aula, e são as suas palavras que estarão ali.

Com o tema definido, é a hora de preparar o conteúdo. Separe também alguns links, livros, vídeos e material de apoio para disponibilizar ao seu aluno caso ele queira se aprofundar ainda mais neste tema. É importante você ter o domínio sobre o conteúdo para ficar mais natural, e o principal, para você não precisar ficar lendo em frente à câmera.

 

Agora que você já definiu o tema que vai falar e montou um planejamento de aula, você precisa aprender a atuar. Sim, atuar. Aquele professor que você teve na escola, que era todo travado, não fazia uma piada na sala e era rígido, lembra? Você se lembra dele, mas dificilmente irá se recordar de algum conteúdo ou acontecimento em suas aulas. Já Aquele professor que era mais descontraído você guarda na memória afetiva de outro jeito, com mais alegria, não é verdade?

Por isso que você precisa atuar, construir uma boa lembrança na cabeça do seu aluno depois que ele assistir a sua vídeo aula é fundamental, pois o boca a boca pode trazer mais alunos para assistirem o seu curso. Ah, é importante lembrar aqui que, por mais engraçado e irreverente que você seja, o principal é o conteúdo que você vai passar ao longo do curso, não você ou sua atuação. Claro, ser guardado com carinho pelo teu aluno faz diferença não apenas para o ego, mas também para as vendas, mas isso nós vemos mais pra frente, pois agora o assunto é outro.

 

Que equipamentos eu preciso para gravar uma vídeo aula?

Para começar um projeto, muitas vezes não temos dinheiro, não é mesmo? Então vamos partir do pressuposto que você não possui nenhum investimento inicial para comprar equipamentos para a captação de imagem e vídeo da sua vídeo aula, mas no final damos algumas opções de compra para você que já está gravando há algum tempo e deseja investir neste negócio.

 

1 – Câmera

A captação de vídeo é essencial para uma vídeo aula, isso soa até meio óbvio, mas não necessariamente você vai precisar comprar um equipamento para isso, às vezes a solução está no seu bolso, isso mesmo! A maioria dos smartphones do mercado possuem uma câmera que propicia uma captação em HD, com pelo menos 720p. Esta qualidade é boa, principalmente para quem está iniciando e não possui um investimento inicial, até mesmo para saber se este é mesmo o projeto que quer.

Embora as câmeras de celular possuam uma boa qualidade de captação de vídeo, existem algumas limitações de recursos, afinal de contas um smarphone é um dispositivo que acumula várias outras funcionalidades. O controle de foco e entrada de luz são os principais recursos que podem fazer você, que está já produz este conteúdo há algum tempo, a comprar um equipamento profissional. As câmeras DSLR (digital single lens reflex) são uma boa saída pelo custo benefício e praticidade, os modelos T5i e 70D da Cannon valem uma pesquisa.

2 – Áudio

Pode não parecer, mas o que mais passa a sensação de um vídeo ser profissional é a qualidade do áudio. Como dissemos acima, os celulares conseguem captar imagens lindas, mas o áudio deixa a desejar, pois contam com um microfone omnidirecional, ou seja, ele capta as ondas sonoras que vem de todas as direções, se você captar o áudio com o mesmo celular que está gravando o vídeo, o som vai ficar amador.

Se você estiver gravando com uma câmera DSLR, pode utilizar o seu celular para captar o áudio, embora os microfones embutidos das câmeras DSLR sejam melhores do que os celulares para captação de vídeo, um combo com a imagem captada pela câmera e o áudio pelo celular pode funcionar, mas não se esqueça de sincronizar o áudio para juntar o áudio e o vídeo na edição.

Para se destacar desde o começo, considere a compra de um microfone de lapela, que pode ser acoplado tanto no seu celular quanto em uma DSLR, sendo um investimento certeiro para você.

3 – Cenário e iluminação

Ter um cenário condizente com a sua temática é fundamental para fazer com que o aluno se sinta em um ambiente confortável. O fundo branco pode funcionar caso você trabalhe com uma edição mais rebuscada, que traga para o seu vídeo elementos que compõe a cena.

Se você for dar uma aula sobre ciência, um simples pôster do Albert Einstein com aquela foto icônica dele descabelado com a língua pra fora pode fazer toda a diferença, dando vida ao cenário.  Prateleiras ao fundo com livros também ajudam a compor o ambiente. A iluminação pode ajudar a dar uma vida nova ao seu cenário. Iluminar os itens que compõe o quadro vai dar destaque a eles, dando uma cara mais profissional para o seu vídeo.

4 – Edição

No começo, você mesmo pode dar conta da edição das suas vídeo aulas. Um software como o Movie Maker, nativo do Windows, é intuitivo e fácil de fazer os cortes necessários nas partes que você errou ou se enrolou na gravação – afinal de contas, é difícil ficar 40 minutos falando direto sem erar.

Vale lembrar que a pós-produção de uma vídeo aula possui uma grande parte do conceito que vai determinar o grau de profissionalismo. Na edição você pode corrigir o áudio, enquadramento, saturação e temperatura de cor e ainda por cima dar um ritmo completamente diferente para a aula, trazendo elementos que podem deixa-la mais intuitiva e construtiva.

Uma edição bem feita é um serviço caro, mas pode dar uma outra cara para o seu curso fazendo com que ele seja mais profissional e trazendo mais consumidores. Com o tempo que você irá economizar na edição, você pode investir no marketing, se preocupando mais em estratégias de vendas que tragam mais alunos para o seu curso.

Como vender meu curso?

Existem várias estratégias para chegar até o seu cliente, mas o primeiro passo é definir qual é o público alvo da sua vídeo aula  que irá consumir o seu conteúdo, para aí sim construir uma abordagem que funcione com ele. Por exemplo, vender um curso “como ser um bom Chief Financial Office”, direcionado para um grupo de pessoas de 35 a 45 anos, precisa ser mais sério do que um curso que de culinária trivial, por exemplo.

Depois que você pega a abordagem, você precisa construir a jornada do cliente, entendendo como você vai convencer o seu aluno a gerar um interesse e sentir uma necessidade em consumir a sua vídeo aula, o importante é mostrar que esse curso pode mudar a vida dele agregando um conceito novo que vai mudar o seu dia a dia.

Uma maneira eficaz de fazer isso é construindo uma estratégia de marketing de conteúdo, também conhecida como inbounding ou marketing de atração. Este conceito consiste em trabalhar conteúdos para atrair o cliente até o seu site, seja com e-books, podcasts, webnairs, textos ou outras maneiras de comunicação. O importante aqui é trazer o cliente até você e fazer com que ele conheça não o seu produto, primeiramente, mas que ele descubra que possui uma necessidade, que será suprida pelo seu curso.

Para desenvolver esta necessidade, a produção de conteúdo é essencial, que além de ajudar a atrair o cliente, pode fazer com que o teu site seja mais bem ranqueado no Google, trazendo mais público para o seu site e, consequentemente, mais vendas. Traçar uma campanha de AdWords também pode ajudar a impulsionar as suas vendas, fazendo com que os clientes que procurem pela palavra chave que tenha a ver com o seu curso direcionem ele para o seu site, fazendo com que ele caia no seu funil de vendas da sua vídeo aula.

Um funil de vendas nada mais é do que o caminho que o seu cliente irá percorrer até fechar a compra do seu curso. Imagine um funil, daqueles de cozinha mesmo. Na parte de cima, a boca é larga e cabe muita água, e então vai afunilando até passar uma parte pequena ao final, ou seja, você irá atingir muitas pessoas no topo do seu funil, que são interessadas, mas nem todas elas vão chegar até a parte de baixo, concluindo a venda.

Como colocar um preço na minha vídeo aula?

Precificação exige estudo e análise, não é um trabalho fácil de fazer. O primeiro passo é colocar na ponta do lápis qual será o seu investimento para executar a sua vídeo aula, desde o investimento inicial em equipamentos até as promoções de marketing visando à conclusão da venda. Depois, faça uma pesquisa de mercado, busque quanto custam os cursos que falam sobre o seu tema e que possuem uma qualidade técnica de vídeo parecida com a sua.

Digamos que você gastou 1000 dinheiros para produzir a sua vídeo aula e seus clientes cobram 100 dinheiros por curso. Se o seu diferencial estiver focado no valor e você cobrar 90, vai precisar vender 11 cursos para começar a obter lucro. Essa é a conta que você precisa fazer para chegar no break even, a palavrinha mágica que todo empreendedor gosta de ouvir no começo do seu negócio, que é quando as entradas cobrem as despesas da empresa.

Como distribuir minha vídeo aula?

Depois que tudo estiver produzido e planejado, é a hora de você distribuir o seu curso para os seus alunos. Vale lembrar que uma vídeo aula é uma experiência, e você precisa de uma plataforma que faça com que as pessoas tenham um sentimento positivo ao assistir o seu curso, e isso passa em como ela irá consumir a sua vídeo aula.

A EAD Box conta com uma plataforma intuitiva, muito fácil de usar, tanto para o usuário final quanto para o administrador. Clicando no link abaixo você pode tem acesso a 15 dias gratuitos para testar e sentir se ela se enquadra nos seus padrões de usabilidade.

A plataforma da EAD Box pode te ajudar até na hora das vendas. Ela possui uma função de promoções e cupons de desconto para você alavancar as suas vendas, dando para você um uma ferramenta fácil de usar que vai ser o empurrãozinho que faltava para aquele seu cliente que está pensando em fechar ou não a compra, concretizá-la.

 

CTA Trial

Banner_Testar-Grátis-Eadbox

Categorias