herospark-midi-banner-venda-seu-produto-digital

Um dos grandes problemas enfrentados no modelo tradicional da educação é a desmotivação dos profissionais em sala de aula

Assim, com a fragilidade da infraestrutura dos estabelecimentos de ensino e os desafios inerentes à educação, muitos educadores vivem um dilema cada vez mais recorrente: “não quero mais ser professor, o que faço”?

Pensando nisso, preparamos este artigo com tudo o que você precisa saber para iniciar sua transição de carreira, mas sem deixar de contribuir para a educação. Continue a leitura e dê início a uma nova jornada profissional de sucesso!  

5 motivos que desmotivam um professor

1. Baixa remuneração 

Boa parte da desmotivação dos professores está relacionada ao fato de eles não se sentirem reconhecidos e valorizados. Isso se deve ao piso salarial defasado nas escolas públicas e ao desrespeito ao pagamento de hora/aula em algumas particulares.

2. Carga horária exaustiva

Com a baixa remuneração, muitos professores são obrigados a cumprir jornadas de dois ou três turnos para garantir um salário razoável. Além disso, muitos acabam utilizando o tempo de folga para planejar aulas e atividades, o que não possibilita boa qualidade de vida. 

3. Dificuldades com a infraestrutura

A precariedade da infraestrutura não atinge apenas professores de escolas públicas. Mas também profissionais que trabalham em pequenas escolas particulares e que sofrem com atrasos de mensalidade ou péssima gestão financeira

Essas questões acabam acarretando uma falta de estrutura física para os espaços compartilhados entre alunos e professores. Assim, muitas vezes, eles acabam por não terem o mínimo adequado para melhores resultados pedagógicos. 

4. Falta de incentivo para formação continuada 

Além de cargas horárias extenuantes que implicam na falta de tempo para que os professores possam aprimorar conhecimentos e habilidades, falta incentivo e proposta de cursos formativos. E sabe-se, no entanto, que a formação continuada é fundamental para a atualização no ensino. 

5. Violência escolar

A violência fora das escolas também se reflete no comportamento de alunos que, em casos cada vez mais comuns, agridem professores verbal e fisicamente dentro das salas de aula.

Não quero ser professor. Com o que trabalhar?

Será que precisa largar a educação? A resposta é não!

Na maioria das vezes, quem escolheu cursar licenciatura sente uma identificação com o ofício de ensinar. Assim, mesmo com a desmotivação com o modelo tradicional de ensino, saiba que essa não é a única maneira de continuar ministrando aulas.

Por isso, separamos 3 dicas para quem não quer ser professor em sala de aula, mas ainda quer trabalhar com educação. Veja:

1. Aulas particulares online

Uma ideia mais tradicional é continuar ministrando aulas da disciplina na qual você se formou, mas em um novo formato. 

Nesse sentido, oferecendo aulas particulares online, você pode adaptar seus planos de aula para um roteiro que se encaixe na realidade digital. Além disso, pode transformar sua experiência de sala de aula em autoridade digital.

2. Programa de mentoria para novos professores

Quando você se formou, com certeza sentiu a diferença entre a teoria e a prática escolar, não é verdade? Detalhes importantes como o preenchimento dos diários de classe e os planejamentos de aulas adaptáveis para o cotidiano foram apreendidos na prática do dia a dia. 

Mas imagina poder ajudar novos professores com esse conhecimento que você adquiriu em sala de aula e ainda garantir uma renda?

Então monte um programa de mentoria e prepare novos professores para a prática cotidiana de uma sala de aula e as burocracias escolares. 

3. Montar um curso online 

Uma outra opção é aproveitar sua desenvoltura para ensinar, mas dar aulas sobre um outro tema que você ame e não necessariamente tenha a ver com a licenciatura que você se graduou.

Saiba que com o crescimento do ensino remoto, montar um curso online pode ser um negócio muito lucrativo. Além disso, pode possibilitar a você continuar vivendo da sua paixão por ensinar, mas agora tendo mais qualidade de vida.

Como fazer essa transição?

Depois de se questionar muitas vezes e repetir a afirmação “não quero mais ser professor”, finalmente chegou o momento de fazer a sua transição.

Para isso, preparamos um checklist para você não deixar passar nenhum detalhe importante rumo à sua nova jornada. Confira!

  • Faça um balanço da sua carreira e liste os aspectos que gostaria de melhorar;
  • Pesquise sobre suas áreas de interesse e quais as oportunidades apresentadas pelo mercado;
  • Liste as exigências e se prepare para adquirir ou lapidar novos conhecimentos;
  • Se prepare financeiramente para ter mais tranquilidade nos períodos de preparação e adaptação;
  • Aprimore suas habilidades e capriche no currículo do LinkedIn;
  • Faça networking e, se puder, participe de um bom programa de mentoria.

Saiba, ainda, que contar com uma plataforma segura para hospedar seus conteúdos pode ser um diferencial para escalar os ganhos com o seu infoproduto.

Para isso, você pode utilizar a HeroSpark! A Hero oferece uma plataforma completa para potencializar suas ações de marketing digital e hospedar seu curso online. Além disso, você recebe seus pagamentos com toda praticidade e segurança através do SparkPay. 

Por isso, venha para HeroSpark e garanta sua transição para o sucesso

herospark-bottom-banner-venda-seu-produto-digital

Categorias