EAD: 7 dicas para usar o Mobile Learning em seu projeto

EAD: 7 dicas para usar o Mobile Learning em seu projeto

Aprendizagem móvel é a mais nova tendência na educação à distância

Um novo mercado para o ensino à distância está se configurando no Brasil: trata-se do mobile learning.

Para você ter uma ideia do tamanho deste mercado, a consultoria Nielsen publicou em 2013 a pesquisa “O consumidor móvel”, na qual informa que aproximadamente 4 em cada 10 brasileiros possuem um smartphone. Já em 2014, a “25ª pesquisa anual do uso de tecnologia nas empresas” realizada pela Fundação Getúlio Vargas demonstra que existem 18 milhões de tablets em uso no país.

As pessoas que formam este imenso mercado esperam por cursos móveis para o desenvolvimento pessoal e profissional, que possam ser acessados a partir de praticamente qualquer lugar. O problema, no entanto, é como criar uma plataforma de aprendizagem móvel que funcione em qualquer tipo de aparelho com perfeição?

A resposta está nestes 7 segredos para a produção de aplicativos de ensino à distância:

1. Identifique o seu público-alvo: escolha um grupo homogêneo de prováveis clientes com base na faixa etária, no nível cultural, nos perfis sociais, psicológicos, geográficos e econômicos, entre outras características. Conheça profundamente as necessidades deste público por meio de pesquisas, conversas tête-à-tête e da leitura de publicações correlatas;

2. Monte sua equipe: tenha em mente as necessidades do seu público-alvo (que você descobriu no item 1) e, com base nelas, defina uma equipe multidisciplinar que possa oferecer soluções de ensino à distância adequadas para este grupo de aprendizes;

3. Desenvolva seu plano de conteúdo: crie somente conteúdos que o seu público-alvo espera obter a fim de não aborrecê-lo com superficialidades. Ao apresentar este conteúdo, leve em conta 4 princípios:

· Precisão: use palavras diretas e evite as palavras empoladas;

· Objetividade: empregue períodos curtos e vá direto ao assunto;

· Simplicidade: construa tópicos simples e de fácil memorização;

· Visibilidade: faça a informação caber e ser vista em qualquer tipo de tela.

4. Determine sua estratégia de distribuição: estude as diretrizes de segurança e os protocolos de todos os dispositivos possíveis antes de compartilhar seu mobile learning;

5. Faça seus testes: peça para que membros da equipe, grupos de colaboradores, voluntários e pessoas pertencentes ao seu público-alvo acessem o conteúdo produzido por meio de múltiplos dispositivos móveis e lhe informem os erros, os acertos e as impressões gerais que tiveram acerca do aplicativo;

6. Lance o seu programa: publique apenas 1 ou 2 cursos no início. Faça ajustes para melhorar a qualidade do aplicativo. Siga o exemplo de Bill Gates com o Windows, isto é, diga que o seu software não é 100% bom, mas que você promete atualizar. Acrescente mais cursos gradativamente;

7. Meça o seu sucesso: use ferramentas que possam lhe auxiliar a medir a frequência de acesso aos cursos, o nível de compreensão dos assuntos e acessibilidade em diferentes plataformas, entre outros dados. Assim você poderá compreender ainda mais o seu público-alvo e proporcionar soluções mais adequadas às objeções.

Categorias