empreendedorismo corporativo

O que é empreendedorismo corporativo e como implementar?

Sabe aquele colaborador que criou feição pela empresa, se sente parte dela e pensa em soluções para tentar melhorá-la? Esse é um profissional que possui características básicas para desenvolver um empreendedorismo corporativo. Pode-se dizer que os empreendedores corporativos são os funcionários que colocam o empreendedorismo em prática nas empresas – mesmo sem ser os donos/gestores delas.

Para toda empresa é importante contar com profissionais dessa natureza, afinal, normalmente são pessoas que se destacam por serem criativos, responsáveis e ousados para a função que desempenham na corporação.

– Leia também: O que é empreendedorismo? Como surgiu?

empreendedorismo corporativo

O que é o empreendedorismo corporativo?

A definição de empreendedorismo corporativo é: conjunto de procedimentos ou ações dentro de um negócio que já existe. O objetivo é a maximização de resultados.

Esse modelo ganha destaque devido à grande quantidade de pessoas que desenvolveram a vontade de ter um negócio próprio. Porém, perceberam que essa poderia ser uma carreira com menos certezas de sucesso. Afinal, criar o negócio do zero e fazê-lo prosperar exige muito esforço, know-how e investimento – entre outras aptidões.

Assim, cabe à uma empresa já existente implantar e desenvolver o empreendedorismo em seus colaboradores. No fim, a empresa contará com profissionais mais engajados – e os colaboradores se sentirão parte da corporação, desenvolvendo um sentimento de dono.

O colaborador como intraempreendedor

Essa é uma modalidade do empreendedorismo em que os colaboradores atuam como os donos do negócio. Auxiliam a movimentar a criação de ideias dentro da empresa e se dedicam para o sucesso dela. É o mesmo que desenvolver o empreendedorismo dentro de uma organização já existente.

Além dos benefícios que esse perfil de colaborador oferece para a empresa, ele também sai no lucro na questão pessoal. Isso porque, ao se sentir importante para a empresa, sente-se mais satisfeito e motivado a melhorar. Percebe seu lugar na corporação.

A empresa, ao investir no desenvolvimento de capacidades de empreendedorismo corporativo e intraempreendedores passa a reter seus talentos, otimiza seus recursos e tem uma melhora na manutenção do capital intelectual.

– Você também pode se interessar por: Proatividade no trabalho: desenvolva seu comportamento para conquistar mais

Implementando a cultura de empreendedorismo

Para contar com colaboradores que entendam e tenham aptidões para desenvolver o empreendedorismo corporativo, a empresa deve saber o que fazer para implantar esse formato de negócio. O primeiro passo para colocá-lo em prática depende de a corporação investir em uma mudança na sua cultura de empreendimento. Ou seja, é necessário que os gestores e seus comandados trabalhem em sintonia.

A empresa deve contar com líderes que estejam dispostos, acreditem e tenham vontade de fazer o empreendedorismo corporativo funcionar. Eles são os primeiros responsáveis por estimular os talentos da empresa a interagirem, agregarem conhecimento e compartilhá-los. É preciso que todos sintam-se estimulados e à vontade para expor suas ideias, sentimentos e crescer juntamente com a empresa.

Para esse novo formato de negócio funcionar, é preciso que todas as partes envolvidas estejam conscientes e engajadas. A empresa deve fazer sua parte, os gestores devem fazer sua parte e, é claro, os colaboradores devem fazer a sua parte.

Papel da empresa:

Oferecer estrutura, treinamentos, bonificações, promoções e demais ações que achar importante para implementar e desenvolver a cultura do empreendedorismo. Pode contratar palestras interessantes, realizar ações que promovam a troca de ideias, entre outros.

Papel dos gestores:

Acreditar e investir certeiramente na ideia. Oferecer aos demais colaboradores seu conhecimento e know-how. Estar sempre disponível para ajudar. Servir como forma de inspiração para os demais colaboradores, por meio de palavras, exemplos e atitudes.

Papel colaboradores:

É papel dos colaboradores se esforçarem para desenvolver o empreendedorismo corporativo dentro de si. Estarem dispostos a aprender com os ensinamentos da empresa, se engajar, compartilhar conhecimentos e feedbacks. Entender que esse novo formato de pensamento será positivo para todos. Esse aprendizado valerá para a vida toda, portanto, é importante valorizá-lo.

Estimulando o sentimento de dono

É de conhecimento geral que as empresas, independentemente da sua área de atuação e tamanho, funcionam melhor quando estão com a presença do seu dono. Por isso é importante desenvolver esse sentimento em todo e qualquer colaborador.

Assumir a postura de dono significa fazer o que for necessário para conquistar os melhores resultados. Mesmo que isso signifique que o esforço será ser um pouco maior.

Para colocar em prática o objetivo de disseminar o “sentimento de dono” de forma saudável, a empresa precisa olhar para seus líderes com atenção. Eles devem vigiar suas atitudes e trabalhar de forma genuína e coerente com os objetivos da empresa. É preciso que os gestores saibam olhar com atenção para seus colaboradores e saibam valorizá-los. Os líderes precisam saber identificar os pontos positivos dos seus funcionários, saber quais os pontos de empreendedorismo corporativo eles possuem e quais devem ser desenvolvidos.

Como identificar um profissional que possui características de empreendedorismo corporativo?

O profissional que se destaca nessa área possui algumas características na sua personalidade. E, se não possui, agora que tem conhecimento dessa informação, sabe que pode – e deve – desenvolvê-las. São elas:

1. Ousadia, criatividade e coragem

Aquele que é criativo e ousado sabe aproveitar as boas oportunidades que surgem no meio do caminho. É preciso agir com sabedoria, é claro, e saber quais oportunidades aproveitar. Porém, é preciso uma dose de ousadia, criatividade e coragem para saber como fazer isso da melhor maneira.

2. Acreditar na inovação e mudanças

Ter um espírito inovador é necessário para desenvolver o empreendedorismo corporativo. Isso não significa ter ideias revolucionárias todos os dias, mas sim identificar e investir nas pequenas mudanças diárias. Com certo tempo, elas trarão resultados expressivos para a empresa.

3. Desenvolver a visão sistêmica

Essa capacidade está relacionada ao domínio geral sobre a empresa. Saber o que acontece em todas as etapas e cargos da corporação. Desenvolvendo essa capacidade, o colaborador enxerga melhor o seu papel na empresa. Assim, também saberá quais atitudes tomar para melhorar a integração dos demais funcionários – e o que pode fazer para melhorar a si próprio. Todos os funcionários de uma empresa devem desenvolver essa visão sistêmica.

4. Ser persistente, dedicado e autoconfiante

Para desenvolver essas três características é preciso ter uma qualidade anterior: o autoconhecimento. A pessoa que se conhece bem, sabe seus pontos fortes e fracos. Com isso, sabe como melhorar, o que merece dedicação, como fazer para ser persistente, entre outros.

5. Saber liderar e gerir

Mesmo que não ocupe um cargo de liderança, o colaborador que deseja desenvolver o empreendedorismo corporativo deve desenvolver essas qualidades. O senso de liderança mostra que o profissional deseja aprender sobre a empresa e sabe ouvir os demais. Outra característica necessária para saber gerir e liderar é: ter uma boa comunicação, carisma e relacionamento com todos. Deve ser respeitoso, ter caráter e se comunicar de forma clara. Investindo nessas características, ganha o respeito da corporação e se torna uma inspiração para todos.

Sua empresa já trabalha com o empreendedorismo corporativo?

Agora que você sabe um pouco mais sobre esse assunto, que tal implementar o empreendedorismo corporativo na sua empresa?

Se ainda tiver alguma dúvida sobre o assunto, entre em contato que adoraremos ajudar!

CTA Produtividade

banner ebook produtividade


Categorias