acelerador digital

Sabia que, de acordo com uma pesquisa do Serasa, mais de um terço dos brasileiros (36%) não sabem organizar suas próprias finanças? 

Portanto, é importante que você, seja atuando como pessoa física ou jurídica, tenha sempre presente os seguintes pensamentos: 

  • Pessoa Física e Pessoa Jurídica devem andar uma do lado da outra, paralelamente
  • E, que o sucesso de uma, vai impactar diretamente no da outra. 

Tais receitas farão com que sua família tenha uma vida benéfica e sua empresa prospere com segurança e sustentabilidade! 

Para tanto, este artigo esclarece os principais pontos para que você não cometa erros na hora de gerir sua empresa. 

Que tal compreender alguns erros básicos que ocasionam a mistura da PF com a PJ? 

3 principais erros da junção PF com a PJ

Usando dinheiro em espécie  

Evite realizar compras com pagamento em espécie, é mais fácil esquecer de lançar.  Logo, não saberá qual o destino dele. 

Para isso existe o cartão corporativo, onde compras são realizadas em formato de crédito, permitindo com isso maior organização e planejamento financeiro. 

Rotina Financeira Inexistente

O empresário de micro e pequenas empresas realiza várias atividades ao mesmo tempo. 

Com isso, na maioria das vezes, as ações administrativas e financeiras se posicionam como os últimos da lista de prioridades, ocasionando a falta de controle financeiro.  

Pois, os dados vão se acumulando, e quanto mais tempo isso acontece, mais desanimador é o cenário. 

Consequentemente, os problemas existentes não são observados, resultando perda de controle integral.

Um só tipo de dinheiro

Aqui vale uma observação muito pertinente: o dinheiro da empresa não é seu! 

As empresas têm compromissos financeiros (despesas fixas e variáveis)  e devem prestar conta, assim como você, à empresa. 

Portanto, tais despesas precisam estar muito bem embasadas, não devendo pagar despesas particulares com o recurso da empresa. 

Lembre-se que a sua parte, a retirada mensal (pró-labore), já foi estipulada, não cabendo mais subtrações aleatórias da empresa. 

Fato é: ocorrendo desestrutura, a empresa enfraquece o planejamento financeiro.

Mas, para que isso não aconteça, continue a leitura, e descubra ações propícias para a separação da PF e da PJ. 

O que acontece quando as finanças empresariais são estruturadas?

  • consegue ter reservas para eventuais surpresas; 
  • maior clareza nas informações financeiras;
  • entendimento do controle financeiro;
  • saúde financeira mais sólida;
  • possibilita calcular o lucro do seu negócio.

Siga lendo e conheça as soluções para ambos. 

Principais ações para efetivar a separação da PF e da PJ

Controle Financeiro Permanente

O controle financeiro quando proveniente de um fluxo de caixa alimentado diariamente e projetado de maneira segura permite que a tomada de decisões sejam coerentes e assertivas. 

Manter o fluxo de caixa atualizado, faz o empresário enxergar o presente, já planejando um futuro próximo com clareza.  

Uso de Ferramentas

É importante o registro de entradas e saídas, diariamente, e, para isso, softwares são desenvolvidos a fim de organizar o fluxo de caixa da empresa. 

Adquirir o sistema mais condizente com sua empresa vai permitir que o controle seja assertivo e seguro. 

Calcule o Pró-labore 

Com um planejamento financeiro bem elaborado, o cálculo do pró-labore será fiel às possibilidades da empresa.

Portanto, é importante que você tenha consciência que esta retirada mensal deve ser única e suficiente para pagar as contas pessoais. 

Tal equilíbrio, é crucial para não prejudicar o fluxo de caixa.

Tenha contas bancárias diferentes

É importante para a saúde financeira da sua empresa que você e o consultor contábil visualizem cada despesa, cada investimento e cada entrada efetivada. 

Sem contar que a conta corrente pessoa jurídica traz vantagens, como: menores taxas, linhas de crédito, empréstimos e financiamentos com juros reduzidos.  

Outra possibilidade de manter a separação é o uso do cartão corporativo.

O que proporciona maior credibilidade e poder de negociação com os fornecedores e demais parceiros. 

Não use o caixa da empresa para pagamento de contas pessoais

Você como empreendedor sabe da importância da separação das contas, mas caso não seja possível, o rateio é uma excelente ideia.  

Veja um exemplo: 

Ao listar os bens compartilhados com PF e  PJ, você inclui: uso de celular e de veículo. 

Na hipótese de utilizar o veículo mais da metade do dia para o trabalho, você estipula um percentual de 70 para empresa e 30% restantes para uso pessoal. 

Visto isso, a retirada para reembolso será de 70%. 

Contudo, a fim de atender uma emergência de pessoa física, caso seja necessário a retirada de recursos da empresa, a subtração deverá ser registrada como retirada de sócios.

É essencial que, rotineiramente, passe todas essas possibilidades de retirada, e demais movimentações, para o contador, a fim de que a contabilidade seja sempre íntegra e segura. 

Reservas de Emergências 

Sabemos que imprevistos acontecem, e para isto, temos que estar preparados tanto como PF como PJ.

A reserva financeira deve ser guardada para as emergências, sendo utilizada de maneira a evitar empréstimos e endividamentos.

É importante que você tenha estas reservas separadas. 

Portanto, veja como proceder para calcular a reserva da empresa:

Contabilize os custos fixos (aluguel, folha de pagamento, internet, energia/água) e variáveis (definidos com relação à produção e vendas, comissões e impostos).

Após este resultado, você poderá separar um montante por mês para reserva empresarial.

Este percentual será estipulado por você, e isto vai depender da sua meta estabelecida por mês. 

Após, vários pontos estabelecidos, é chegada a hora de saber que você pode contar com nossa parceria. 

E, não se aflija, enquanto você é gestor administrativo, nós temos outro forte parceiro que tem a expertise em procedimentos contábeis e financeiros para sua empresa. 
Conte conosco, seu sucesso a gente comemora juntos!

herospark-bottom-banner-venda-seu-produto-digital

Categorias