investir uma plataforma EAD

Qual o momento certo para investir em uma plataforma EAD?

O momento certo de investir uma plataforma EAD é um dos principais questionamentos de criadores de cursos e gestores de empresa. Na grande maioria das vezes isso é visto como um gasto, quando na verdade é um investimento, pois você verá um retorno desse valor.

 

investir uma plataforma EAD

 

Essa dúvida está lhe atormentando? Veja agora quando investir uma plataforma EAD e entenda porque deveria fazer essa escolha:

Perfis que podem investir uma plataforma EAD

  • Quem faz venda de cursos online

São pessoas que ensinam alguma coisa e vendem seu curso online através de uma plataforma online. Seus ganhos são diretos porque ele coloca seu curso a venda e o aluno que aceita fazer o curso paga um valor por isso.

É um perfil que precisa se focar não apenas em vender, mas também em manter seu aluno. O seu sucesso ocorre ao aplicar o seu conhecimento. O curso online precisa impulsionar e motivar o aluno a desenvolver aquilo que está sendo ensinado e não apenas assistir.

  • Quem realiza treinamentos corporativos

São as empresas que treinam seus colaboradores, vendedores, fornecedores, parceiros e até mesmo clientes. Para elas o valor de um treinamento online é indireto. O ganho de dinheiro com o treinamento ocorre de maneira indireta.

A empresa treina o funcionário para ensiná-lo a fazer algo de maneira mais efetiva, evitando erros e ao final ganha com o aumento da produtividade. O sucesso para esse perfil está relacionado com a execução do negócio.

O treinamento nesses casos é dado de graça ao funcionário. Por isso o retorno do investimento é indireto.

Veja também: investir em treinamento corporativo é vantajoso?

5 pilares que não podem ser ignorados

1. Educacional

Independentemente de se tratar de alguém que está vendendo cursos ou oferecendo treinamentos, é preciso ter o conteúdo em mãos. Algo precisa ser ensinado, não pode ser apenas um produto de entretenimento.

Você precisa ter um curso, uma avaliação, algo que vá resolver o problema do seu aluno.

 2. Marketing

Será preciso divulgar o curso online. Então é aí que entra o papel do marketing. É preciso captar o cliente, convencê-lo de que aquilo realmente vale a pena. Mesmo quando se trata de treinamentos corporativos, é necessário engajar o seu colaborador.

Você terá que mandar e-mail marketing, por exemplo.

O interessante desse pilar é que é algo óbvio para quem vende curso online. Para vender é preciso divulgar. No entanto, para quem trabalha com treinamentos o marketing é fundamental para estimular os alunos a entrarem. Você tem que incentivar a pessoa a querer aprender, para que ela veja que aquele treinamento vai contribuir para seu crescimento profissional de alguma maneira.

3. Financeiro

É algo lógico. Você está oferecendo um curso online com o objetivo de ganhar lucros. Seja treinamento de colaboradores ou venda de cursos, é preciso gerar receita.

4. Recursos Humanos

Muitos esquecem desse pilar, mas não imaginam o quanto ele é importante. Tenha em mente que você não poderá fazer tudo sempre sozinho. Você tem que ter alguém que faça alguma das partes do processo de criação de um curso online, que trabalhe em conjunto.

Não se pode pensar que o curso online ou treinamento vai se produzir sozinho. Você é quem trabalha para o negócio e não ele para você. Uma variável importante a ser analisada é o volume de trabalho. Você sozinho consegue ir até um determinado ponto. Chega um momento em que será preciso contar com outras pessoas.

O principal é: Você precisa de pessoas para colocar o projeto em prática!

5. Tecnologia

O último dos pilares trabalha em conjunto com os outros quatro. A tecnologia muitas vezes faz com que um negócio que antes era inviável se torne algo que pode ser posto em prática. O motivo? Ela impulsiona esses quatro pontos citados anteriormente além de também facilitar a execução do projeto.

Plataforma própria x Plataforma terceira

Existem dois formatos principais em que se pode separar o pilar da tecnologia para quem deseja investir em cursos online. Ou a pessoa vai ter uma plataforma própria, sendo dona deste ativo; ou uma plataforma terceira que é quando você contrata a tecnologia.

Fazendo uma analogia para deixar um pouco mais claro a diferença entre os dois tipos de plataforma, a própria seria aquela pessoa que é dona de uma escola, enquanto que a terceira é um professor que trabalha em uma escola.

Vamos explicar um pouco mais sobre cada plataforma:

Plataforma própria

Se divide em Opensource e SaaS. Vamos conhecer em detalhe um pouco de cada uma dessas plataformas próprias:

  • Plataforma Opensouce

No caso do OpenSource é comum de se ouvir que é gratuito, mas normalmente é apenas a licença que é grátis. Tanto que o fato de não ser preciso pagar nada para ter o seu próprio domínio e ter algo que é a sua cara é que chama a atenção.

No entanto, será necessário a implementação com o uso de hardware e softwares e também a manutenção, ou seja, será preciso uma pessoa que se responsabilize por essa área. Ou que você entenda de TI e tudo que envolve a implementação do seu curso.

O custo aparece na implementação e na manutenção. Você utiliza um software “cru” e vai ter que investir tempo e dinheiro em pessoas capacitadas para colocar seu curso online no ar. É ideal para quem domina esse tipo de plataforma, se não o custo pode ficar muito alto, pois será preciso envolver terceiros que são especializados nessas áreas que você não entende.

O Opensource é uma boa opção para universidades públicas que têm um departamento de ciência da computação. Então não haverá problema com o custo de implementação e manutenção. Muitas vezes os próprios alunos podem trabalhar na plataforma Opensource como voluntários.

Clássica plataforma Opensource: Moodle

  • Plataforma SaaS

A plataforma SaaS é o que chamamos de um software como serviço. Não é preciso instalar nada e tudo fica armazenado na nuvem. É pago mensalmente ou anualmente e o mais comum é que uma empresa entregue o software e o serviço. Ou seja, há muito mais facilidade para quem aposta nessa ferramenta para seus cursos online, já que não há a preocupação com conhecimentos específicos de implementação e manutenção. O seu foco pode ser totalmente direcionado ao conteúdo que deseja vender ou ensinar.

Você tem um gerente de sucesso sempre cuidando de sua conta e lhe acompanhando. Em caso de qualquer problema ou dúvida pode contar com essas pessoas. A função do gerente de contas é trabalhar junto com o cliente para ajudá-lo a alcançar o sucesso.

Para uma empresa de SaaS é ruim quando um cliente fecha o negócio e depois desiste. Razão pela qual há todo um acompanhamento e orientação, inclusive dicas do que é preciso mudar para transformar seu negócio em algo bem-sucedido. A EadBox, por exemplo, produz uma série de materiais que ajudam o cliente a construir seu curso online para que seja possível fazer do projeto uma realidade.

Em alguns casos é preciso ser sincero e dizer ao cliente que ele ainda não está pronto para iniciar seu projeto, que ainda é preciso amadurecer mais a ideia. Exatamente para evitar que posteriormente ele se frustre e desista de tudo.

A principal diferença entre os dois tipos de plataforma é o como você consegue ter o seu curso online. Enquanto em uma o trabalho depende totalmente de você e há um maior custo com manutenção – opensource – na outra você conta com uma consultaria e ajuda para chegar lá e construir um negócio de sucesso – SaaS.

Quem está entrando no mercado dos cursos online precisa saber que a tecnologia muda praticamente todos os dias. Sendo assim, sabendo que há essa mudança é preciso ter uma ferramenta que esteja preparada para isso. Se for preciso evoluir e aquilo ser barrado, o resultado pode ser o fim do seu negócio.

Exemplo de plataforma SaaS: A própria EadBox.

Plataforma terceira

Seria um marketplace que pode ser com ou sem divulgação. Para explicar melhor cada uma dessas plataformas terceiras vamos começar com o marketplace sem divulgação:

  • Marketplace sem divulgação

Nesse caso a plataforma não é sua, você irá produzir um conteúdo que ficará dentro da plataforma do marketplace. Os ganhos também são diferenciados, você ganha conforme você vende, razão pela qual o preço será mais alto. Há menos foco na educação, mas isso não significa que não é possível colocar cursos online educacionais como material de venda.

O marketplace sem divulgação pode ser uma ferramenta utilizada como teste. No entanto sempre mantenha o foco em ajudar o seu aluno e resolver o problema dele. Assim há mais chances de conquistar mais alunos e mantê-los.

Vale comentar que essas plataformas são chamadas de “sem divulgação” pois não divulgam você. Essa seria uma responsabilidade sua. Apesar de algumas contarem com uma rede de afiliados que podem vir a divulgar o seu curso, isso não é necessariamente uma obrigação. Geralmente você será divulgado se der algum retorno financeiro para esse afiliado. Então não confie muito nessa estratégia para entrar no mercado.

Você tem então a opção de fazer sua própria divulgação, no entanto é interessante colocar no papel o gasto que terá com isso. Muitas vezes investir em uma plataforma SaaS sairia muito mais barato.

Lembre-se que não há uma resposta padrão para todos os casos. O ideal é sempre fazer contas e analisar aquilo que sairia mais em conta e traria mais vantagens para você. Veja o que se encaixa melhor para o seu negócio.

Exemplos de plataforma marketplace sem divulgação: Hotmart, Eduzz, Monetizze.

  • Marketplace com marketing

No marketplace com marketing a plataforma também não é sua. A diferença é que você é divulgado e a cobrança da comissão é muito maior sobre a venda. Em média 50% do valor do seu curso será destinado a plataforma. É ideal para quem não vê o curso online como um negócio, mas sim como uma renda extra. Sua única preocupação será disponibilizar o material.

Os marketplaces não permitem controlar métricas e muito menos os alunos. Inclusive pode existir alguém oferecendo um curso mais avançado que o seu. A lógica do marketplace é ganhar, então eles querem cada vez mais pessoas colocando seus cursos ali.

Se você tem uma visão mais empreendedora o ideal é apostar nas plataformas que são suas. No entanto não há porque não utilizar o marketplace com marketing. O retorno irá vir, no entanto não tão expressivo e num prazo mais longo.

Quem não quer se incomodar com marketing e quer experimentar as plataformas terceiras pode calcular e ver se vale a pena. Principalmente se não vê suas aulas como um negócio. Já o público de treinamentos corporativos nem teria muito porque utilizar esse tipo de plataforma.

Exemplo de plataforma marketplace com marketing: Udecy.

Como decidir entre todas essas plataformas?

A verdade é que “cada caso é um caso”. É preciso entender o que você quer com o seu negócio e também analisar as questões financeiras. Você pode contar com a EadBox para conseguir tomar essa decisão. Vamos estudar o seu problema e ajudá-lo a chegar a solução, orientando então se seu curso online – seja voltado para vendas ou corporativo – se encaixa em nossa plataforma ou é preciso buscar por outras alternativas.

Acima de tudo nosso objetivo é orientar, e não apenas vender! Inclusive auxiliamos você com a implementação, que é um dos processos mais demorados de um curso online e vamos acompanhá-lo a todo momento, para levar você a alcançar o sucesso.

E não se esqueça, para obter sucesso é preciso se esforçar. Não existe resultado sem esforço!

Você vai ter trabalho, vai ter que investir dinheiro e tempo. Não há mágica para conseguir fazer um curso online de sucesso. Tudo implica em investimento!

 

CTA Trial

trial


Categorias