contratação de funcionários

Contratação de funcionários e treinamento onboarding

A contratação de funcionários novos é um dos processos mais frequentemente atravessado por empresas. Esta tarefa demanda conhecimento da legislação, atenção aos pormenores pessoais e profissionais dos candidatos, além de um processo burocrático.

A primeira responsabilidade vem imediatamente após a contratação de funcionários. Antes que o colaborador comece a trabalhar, existem formulários e documentos que precisam ser contemplados para a regularização do funcionário. Esses formulários devem ser preenchidos por todos, de acordo com as leis federais e estaduais.

Quando esses formulários são preenchidos, é preciso mantê-los em um local específico, disponível para quem precisar vê-los. As agências federais, estaduais e locais também podem auditar os registros de funcionários. Os motivos  por uma variedade de razões, portanto, manter registros é importante.

Processo de contratação de funcionários

Existe uma série de documentos e procedimentos que precisam ser feitos até se efetivar uma contratação. Desde documentos pessoais, exames, até certificados de capacitação profissional, servem para três fins básicos: formalizar a contratação de funcionários, identificar o colaborador tanto na esfera física como na profissional, e cumprir as obrigações legais junto ao Ministério do Trabalho.

Mas alguns caminhos precisam ser respeitados neste processo. Alguns papeis podem ser requisitados, outros não. Existem algumas obrigações da empresa que precisam ser cumpridas para que tudo ocorra conforme as regras do país. Documentos que comprovem a identidade, tais como CNH, RG, CPF, Carteira de Trabalho, são documentos necessários para a formalização da contratação. Porém, precisa se certificar que depois de cumpridas as demandas legais, os documentos papeis sejam devolvidos ao colaborador. A legislação brasileira não demanda que as empresas retenham documentos pessoais, mesmo aqueles entregues em fotocópia autenticada em cartório.

Outro impedimento legal é a exigência de comprovantes ou informações sobre algumas circunstâncias vividas pelo empregado. É vedado pela CLT (regra trabalhista vigente no Brasil), por exemplo, solicitar certidões negativas, tanto financeiras como jurídicas, pedir informações sobre antecedentes criminais e declarações sobre fertilidade, além de exames que identifiquem condições de saúde preexistentes, como exame de HIV, por exemplo.

Veja também: treinamento e desenvolvimento de funcionários: qual a nova tendência?

O setor responsável pela contratação de funcionários

Delegar tarefas faz parte da vida corporativa em qualquer empresa. Uma pessoa somente não é capaz de fazer funcionar vários setores de uma empresa. Não importa o quão capacitado o colaborador seja, ele não vai conseguir tocar tudo sozinho. Por isso, cresce no mundo corporativo a importância do setor de recursos humanos. A abordagem que busca colocar as pessoas em primeiro lugar na escala de prioridades e valores das companhias também vem aumentando.

A contratação de funcionários é uma tarefa que precisa ser realizada com o maior cuidado possível. Isso evita erros que possam ocorrer em punições para a organização. É também importante se atentar ao detalhe de que a força de trabalho é o principal recurso para o desenvolvimento de uma empresa. Por isso é importante ser assertivo na hora da contratação.

Outro fator primordial é que tal setor responsável também seja capaz de facilitar o processo para os novos colaboradores. Há que se ter em vista que o processo de contratação de funcionários não é simples. Ele exige uma série de passos e procedimentos, e este caminho é geralmente conhecido à fundo apenas pelo empregador. Portanto, o RH deve um setor recrutador, identificador de talento, e também facilitador de processos. Não se deve deixar à cargo do futuro colaborador todo o caminho burocrático a ser percorrido, mas sim guia-lo pelo caminho a ser trilhado.

CTA Produtividade

banner ebook produtividade

Veja também: aprenda a engajar funcionários através do ensino a distância.

Contato pessoal e treinamento

Seja qual for a função a ser desempenhada pelo novo funcionário, é preciso que ele saiba como deve agir. Quais relacionamentos interpessoais ele vai precisar manter ao longo de sua jornada na empresa? Qual vai ser o seu papel na cadeia produtiva da corporação? Para isso, é necessário que o setor de RH provenha uma espécie de capacitação à pessoa. São os chamados treinamentos onboarding. Basicamente são uma série treinamentos que o novo colaborador vai ter. Estes treinamentos são realizados assim que ele entra na empresa.

Nesse cenário, o onboarding planeja e esquematiza os programas de orientação profissional. Ele também desenvolve os programas de socialização. São usados para aperfeiçoar e ampliar a adaptação da pessoa à rotina da empresa. Porém, o foco de tal fase de treinamento não é no desempenho profissional. O objetivo aqui é a adaptação e inserção da pessoa ao ambiente que estará sendo inserido.

Tal processo é feito com foco na construção de relações interpessoais eficazes para o funcionamento da dinâmica corporativa. Isso agrega os valores organizacionais ao cabedal pessoal já adquirido.

Veja também: treinamento de funcionários, como fazer?.

Onboarding com ensino a distância

Com o desenvolvimento tecnológico e a evolução da internet e das plataformas de ensino a distância, tem crescido o número de empresas que optam por tal sistema para desempenhar seus treinamentos onboarding. Existem inúmeras vantagens em tal emprego. Primeiro, a capacidade de padronização de conteúdos proporcionada por este método. A característica do ead é a sistematização da produção e replicação de um mesmo conteúdo. Segundo, o ensino a distância proporciona também uma redução drástica dos recursos necessários para se viabilizar o treinamento. Ele extingue a necessidade de uma logística específica, Agora é necessária apenas a disponibilização de horários da pessoa e uma conexão com a plataforma.

Veja também: 5 treinamentos onboarding que toda empresa deveria ter.

Existem, porém, ressalvas quanto à eliminação do professor, ou no caso, do mentor. Sem uma figura física para orientar, existe a possibilidade do colaborador sentir, de imediato, uma falta de engajamento no processo. Porém, as plataformas ead possibilitam sim o emprego da figura do tutor. Ele é responsável por esclarecer uma série de questões pertinentes à capacitação. Ele também ajuda na conexão entre colaborador e empresa. O tutor ajuda a agregar confiança no funcionário, além de estabelecer um canal para que sejam compartilhadas ideias e inovações.

Outro benefício do ensino a distância é a capacidade de transferência da cultura organizacional. A padronização empregada pelo ead provém também uma forma de aculturação pessoal. A adaptação do novo colaborador ao ambiente organizacional é o primeiro passo para que uma pessoa entre no processo produtivo da empresa e desempenhe seu papel de maneira eficaz. É importante que o colaborador tenha em mente que suas responsabilidades e ações devem ser condizentes com os valores corporativos.

CTA onboarding

ebook onboarding


Categorias