storytelling

Storytelling: o que é como utilizar em seus vídeos

Storytelling é a habilidade de contar e encantar histórias de maneira relevante para o público. Mas se engana quem pensa que este método só é utilizado por roteiristas, escritores e jornalistas. Desenvolver essa habilidade pode trazer resultados incríveis para sua empresa, já que é um método que promove seu negócio sem a necessidade da venda direta. Desta forma, o storytelling tem um caráter mais persuasivo do que invasivo.
A arte de compartilhar histórias faz com que você crie uma conexão emocional e isto é o ponto chave para empresas de sucesso. Esta ferramenta, muito utilizada pelo marketing e propaganda, estreita a relação entre cliente e empresa, e facilitando a comunicação.

Storytelling: a arte de contar histórias que encantam

storytelling

Quando utilizamos o storytelling no planejamento de marketing, temos o intuito de contar uma história a fim de conquistar nossos clientes. Desta forma é importante ter em mente que para criar um história bem sucedida é preciso ter alguns elementos chave. Primeiro de tudo é necessário utilizar uma linguagem adequada para quem você está contando. Cuide para que o enredo tenha detalhes agreguem com a história e não atrapalhem o entendimento do seu público. Nesse momento é possível colocar as dores reais dos seus cliente, para que eles criem um vínculo mais forte com sua marca.

Por ser uma ferramenta visual, está liberado o uso de artifícios audiovisuais para entreter, emocionar, prender e convencer seu público.

Storytelling tem explicação neurológica

Quando ouvimos uma história, parte do nosso cérebro começa a processar a ideia. Neste momento é liberado dopamina, substância responsável pela sensação de prazer, sendo o principal motivo da ligação emocional. Após o fato ser processado duas outras áreas do cérebro são ativadas: área de Wernicke e de Broca – responsável pela interpretação e expressão de linguagem, respectivamente.

Ao contar uma boa história, áreas como córtex motor, córtex sensorial e córtex frontal também são envolvidos.
Agora que você sabe o significado e como o storytelling pode afetar o cérebro, que tal aprender como fazer?

Aprenda a fazer um storytelling para ter melhores resultados

Não existe uma receita mágica para criar um bom storytelling. Mas é necessário saber de algumas coisas para começar: esta habilidade está diretamente relacionada ao marketing de conteúdo. A linguagem utilizada precisa ser a mesma do seu público, para que eles se sintam compreendidos e representados. Assim, o enredo fica mais inteligente e assertivo, retratando as dores reais daqueles que receberão a mensagem.

Bom, para começar é necessário se questionar e responder perguntas para dar início a sua história:

  • Para quem será contado?
  • O que será contado?
  • Qual a finalidade desta história?
  • Qual meio você irá utilizar (mídias sociais, e-mail, blog)?
  • Como você irá contar?

Conseguiu respondê-las? Estas respostas serão norteadoras para a história que você irá contar ou como chamamos no mundo publicitário, será seu briefing. Não se esqueça: tenha certeza do público com que você irá contar sua história, afinal estamos lidando com pessoas do outro lado da tela.

Dica: estude bem seu público-alvo, construa uma persona e humanize seu roteiro.

Conheça a Jornada do Herói

Contar histórias faz parte da natureza humana. Desde os primórdios da sociedade passamos nossos conhecimentos à frente de acordo com o que nos é disponível no momento (seja desenhos em paredes como no caso dos homens da caverna).

Existem várias maneiras de se contar uma história, mas a mais utilizada atualmente é a jornada do herói. Joseph Campbell, autor do livro “O herói de mil faces”, apresenta o padrão narrativo das histórias famosas e emocionantes. Então, use e abuse dessa estrutura para adaptar seu conteúdo e engajar mais seus clientes.

Vamos, então, para as etapas:

Introdução

Antes de mais nada é necessário introduzir seu público para dentro do universo em que será contado a história. Desta maneira eles saberão quem é o personagem e em que contexto está inserido. Assim, o público cria uma conexão e empatia com a história, fazendo com que eles se interessem e continuem a prestar atenção.

Conflito

Logo após a introdução é necessário apresentar o conflito, pois assim desperta a curiosidade de quem está do outro lado. Tente não demorar muito para chegar nesta parte, quanto mais cedo mais curiosos seu público ficará.

Nesse ponto cria-se muitas dúvidas de como fazer esse conflito. Calma, não precisa ser nada mirabolante cheio de dragões, bruxos e magia. Pense em problemas cotidianos, melhor ainda, pense nos problemas que seu público passa. Busque sempre criar empatia com eles, por isso responder aquelas perguntas lá atrás é tão importante.

A recusa do chamado

Quem nunca pensou em desistir de resolver um problema que atire a primeira pedra. Em uma história não é diferente. É importante mostrar esse drama em sua narrativa, isso faz com que ela fique mais envolvente e cheia de desafios.

Desmembre o conflito e liste os possíveis impeditivos que possam levar seu personagem a desistir. Mas calma que não acaba por aqui.

A ajuda necessária

Esta etapa pode ser marcada pelo encontro de um mentor que o ajudará a superar esse momento de conflito. Este pode ser o momento de mostrar sua marca e a solução que ela possui para o problema descrito.

Dica: tente focar mais na solução que seu negócio oferece, desta forma fica mais envolvente e menos invasivo.

A superação

Com a ajuda necessária seu personagem aceita enfrentar o desafio e, a cada nova etapa, formas diferentes de superar o conflito surgem. Pode não ser um caminho fácil, mas ele se torna cada vez mais capacitado e tem a certeza que este é a maneira certa de resolver.

Toda essa preparação é o planejamento para o desafio final.

A grande virada

Esta etapa inspira confiança em seu público, pois demonstra que apesar de todas as dificuldades passadas a solução está logo ali.

Neste ponto o expectador já criou uma conexão emocional com sua história e negócio. Ele já estará torcendo e vibrando pelas conquistas de seu personagem. Este será um momento decisivo, pois é o elemento chave para a conclusão é de que basta ter atitude para resolver os problemas, e o seu negócio é a solução.

Conclusão da trama

Esse será o desfecho de sua história. Esta etapa será para demonstrar como a vida do seu personagem muda com as escolhas que ele fez.

Dica: abuse das emoções, mas tome cuidado com os clichês para não se tornar uma história invasiva.

Agora que você já sabe como estruturar seu storytelling vamos colocá-lo em prática em seu negócio?

Vamos voltar ao início, pegue as respostas que você listou no começo do texto. Leia atentamente cada uma delas e veja se você possui informações suficientes para pôr em prática.

Lembre-se sua história precisa estar estruturada em seu plano de marketing, assim ela fará sentido e trará muito mais resultado.

Para começar, que tal descrever a história do seu negócio? Busque entrelaçar o passo inicial com a jornada do herói. Descreva com sentimentos e emoções os pontos relevantes que marcaram sua trajetória. Busque conectar seu público através dos objetivos em comum entre a sua solução e o que eles procuram.

Nós sabemos que nem sempre é fácil criar histórias envolventes, mas este desafio quando concluído trará resultados muito mais concretos. Utilize o storytelling em suas estratégias de marketing e estreite a relação com seus clientes!

CTA Trial

trial


Categorias