o poder do vídeo marketing

Descubra o poder do vídeo marketing nas suas aulas EAD18 min read

3,2,1… Gravando!

Um cenário que até aquele momento só existia nos melhores roteiros de filmes de ficção científica. “Um pequeno passo para o homem, mas um grande salto para a humanidade”, disse o astronauta Neil Armstrong em 20 de julho de 1969, após dar os primeiros passos na lua.

A data é 3 de junho de 1970. Uma sexta-feira comum no México, se não fosse pelo jogo entre Brasil e a extinta Tchecoslováquia. Um jogador dá milimétricos 8 passos, chuta a bola que voa 60 metros e caprichosamente passa a 20 cm da trave do goleiro Ivo Viktor. A bola não balança a rede, e o lance ficaria conhecido como o gol que Pelé não fez.

Empresários andam apressadamente para não atrasarem para mais um dia de trabalho. Como toda metrópole, Nova Iorque é frenética e não para. Mas às 8:46 min. daquele 11 de setembro de 2001, ela pararia e nunca mais seria a mesma. Ao olhar para o World Trade Center, um avião se choca com uma das torres. Quase duas horas depois a cena se repete. Outro avião.

Três momentos da história, três fatos, em três épocas diferentes. Propositalmente eu induzi você a reconstruir essa imagem na sua mente. Te faço uma pergunta e conto com a sua honestidade para respondê-la. O tipo de imagem que vem na sua memória é uma foto ou um vídeo? Creio que o primeiro registro imagético que você buscou no seu hd mental foi um vídeo. Digo isso, porque os registros descritos acima foram amplamente divulgados por meios de comunicação de grande impacto como televisão, cinema e nos últimos quinze anos a internet, especialmente no Youtube. Aliás, parte da pesquisa que fiz para escrever esse artigo foi feito através do Youtube, pois ele é a maior biblioteca audiovisual que temos hoje.

Vídeo Marketing – A nova tendência

No final de 2017, a empresa Média Kix realizou uma pesquisa para medir quanto tempo cada usuário gasta consumindo conteúdo nas cinco maiores plataformas da web. O campeão foi o Youtube com 40 minutos por dia, logo atrás vem o Facebook com 35, Snapchat com 25, Instagram com 15 e Twitter com 1 minuto. A pesquisa também revelou que desde 2005 quando o Youtube foi criado, em média, o usuário passou 1 ano e 10 meses da vida dele assistindo vídeos nesta plataforma.

https://www.wayupbrasil.com/quanto-tempo-as-pessoas-gastam-nas-redes-sociais/

Quanto-tempo-em-redes-sociais-
Fonte: Marketing Proofs e Flaticon e Icon Archive

Neil Patel, considerado o maior guru do marketing digital pelo jornal Wall Street Journal, endossa a ideia de que somos a Video Generation (Geração do Vídeo). Em seu site ele divulgou recentemente um documento feito pela empresa Cisco, que mostrou o poder do vídeo como a nova estratégia de marketing para os próximos anos. O white paper divulgado pela empresa revelou que até 2021, aproximadamente 82% de todo o tráfego de Internet (globalmente) será baseado em vídeo.

Outro ponto que reforça essa tendência é o relatório divulgado pela HubSpot. O State of Inbound, documento produzido em 2017, em parceria com alguns profissionais de marketing do mundo inteiro, mostra que 48% desses profissionais fizeram seu planejamento considerando o Youtube como um forte canal de distribuição.

stateofinbound

Fonte: https://neilpatel.com/br/blog/investir-em-video-em-2018/

Outro fenômeno que não podemos ignorar são os “youtubers”. São produtores de conteúdo audiovisual que ganham verdadeiras fortunas criando conteúdo para plataforma do Google. Mas é necessária uma análise aprofundada que vá além das cifras monetárias como veremos abaixo.

A influência do vídeo consumo

Esse novos formadores de opinião mudaram radicalmente a maneira como se produz conteúdo. Antes deles existirem, o mercado se dividia entre produtores e consumidores de conteúdo. Alvin Toffler, autor da obra “A terceira onda” definiu esses novos personagens digitais como prossumers, que em português foi traduzido como prossumidores. O neologismo é a soma das palavras produtores e consumidores. São pessoas que não apenas consomem conteúdo passivamente, mas que ao mesmo tempo produzem conteúdo ativamente. Podemos sentir essa mudança na maneira como as marcas educam seus clientes a usarem seus produtos atualmente. Um exemplo claro é o setor de telefonia móvel. Até 2004 quando você comprava um celular, vinha junto um manual que parecia um exemplar da barsa, de tão grande e extenso. Havia um excesso de informações desnecessárias, que na maioria das vezes só era usado quando o aparelho dava pau. Hoje tudo virou! Celular agora é smartphone e a comunicação entre empresas e o consumidor está focada na experiência do cliente. A tática hoje, é pagar influêncers para que eles mostrem as funcionalidades do aparelho antes que o cliente tenha uma experiência física.

Essas mudanças causam muitas vezes situações bem constrangedoras. Eu sempre vejo video reviews de aparelhos. Gosto de conhecer as novidades e novas ferramentas. Mas, por diversas vezes, já cheguei em algumas lojas para perguntar a um vendedor sobre as funcionalidades de determinado aparelho e percebi que eu tinha mais informações sobre o produto do que ele. Na última vez que fiz algumas perguntas básicas sobre um smartphone, o vendedor teve a ousadia de me pedir licença e perguntar para o OK Google, (a assistente virtual) para saber quais as especificações técnicas do aparelho. Pode isso produção?

Comportamentos como esse só reforçam um pensamento que tenho, o vídeo empodera o cliente. Assistir um conteúdo e entendê-lo, gera uma autoridade que não tínhamos antes. Deixamos de ser aquele tipo pessoa que foi educada pela tv, chamada antigamente de babá eletrônica. Passamos para o estágio de sermos educadores digitais. Hoje quem consome conteúdo também pode se tornar referência naquilo que se propõe a produzir.

Planejamento de cursos online

Planejamento de curso

O poder do vídeo na educação

Uma forte tendência no segmento de educação é a inserção de conteúdos em vídeo. Graças à evolução das ferramentas digitais, o baixo valor de alguns aparelhos e a popularização da banda larga, hoje é possível aprender em qualquer lugar tendo apenas um smartphone e um sinal de wifi de qualidade.

Esse fenômeno impacta diretamente no mercado de educação à distância. Em fevereiro a revista Exame produziu uma reportagem intitulada Cursos EAD estão crescendo no Brasil, que revelou que no Censo da Educação Superior de 2016, do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), o ensino presencial teve queda anual de 0,08% nas matrículas, já o ensino a distância (EAD) teve expansão de 7,2%. O estudo também mostra que foram criados cursos de educação à distância em 51% das instituições privadas do Brasil.

O ponto que ainda levanta alguns debates é o quanto da aprendizagem por vídeo é realmente absorvida pelos alunos. Muitos defendem que os livros ainda são mais didáticos que o videos. Eu particularmente considero que não existe ferramenta melhor ou pior. Ambas se complementam e se completam. Estou fazendo uma pós graduação que parte do curso é presencial e parte em vídeo.

Para avaliar a qualidade do aprendizado por vídeo, três alunos da graduação do CEFET-RJ realizaram uma pesquisa com 95 estudantes de uma escola da rede pública para entender como os eles avaliavam o uso do vídeo como ferramenta de aprendizagem. Veja os gráficos abaixo.

qualidade-no-aprendizado

Como observamos no gráfico acima, apostar em vídeo marketing como ferramenta educacional pode ser uma ótima alternativa. O vídeo é uma estratégia muito poderosa e que gera credibilidade para o seu conteúdo. Tenho certeza que Auguste Lumièr e seu irmão Louis Lumière, pioneiros na arte de transformar fotografias estáticas em imagem em movimento, que hoje conhecemos como cinema, não tinham a dimensão do impacto que o vídeo teria em nossas vidas quando disseram que “o cinema (vídeo) não tinha futuro comercial”. Foi graças à invenção desses dois jovens que hoje podemos lembrar de fatos marcantes como o gol perdido, os primeiros passos do homem na lua e do 11 de Setembro. Graça as lentes das câmeras, nossa memória não armazena somente boas histórias, como também belas imagens.

Turbine seu conteúdo com vídeos

Agora que você já percebeu o poder que o vídeo tem e o diferencial que essa ferramenta pode trazer para o seu negócio, vou listar algumas dicas para te ajudar a desenvolver sua autoridade no seu segmento de negócio. Aplicando essas dicas você vai conseguir engajar mais pessoas e atingir o sucesso no seu curso EAD. Para ajudar a dar os primeiros passos, vou separá-las em três categorias.

São elas: dicas sobre conteúdo, dicas técnicas e dicas estratégicas.

DICAS SOBRE CONTEÚDO

Planeje

Em meu artigo Disciplina: O segredo do sucesso (que você pode conferir na íntegra no blog da EADBOX), dou algumas dicas para que o seu conteúdo se torne um sucesso na internet. Vou falar aqui brevemente sobre três delas.

A primeira é: Faça um planejamento. Quando você trabalha com conteúdo em vídeo a resposta do aluno é 8 ou 80. O que isso quer dizer? Ou você captura a sua audiência nos primeiros 3 minutos ou ela vai embora e dificilmente volta. Por isso, é necessário que você tenha um planejamento claro e objetivo do que é o seu conteúdo, quem é seu público alvo e o que você vai falar pra eles. É importante ter segurança e domínio do assunto para pescar o aluno logo de cara. Esse planejamento pode ser feito em forma de um roteiro. Se você quer transformar o conteúdo das suas aulas presenciais em ead, você deve ler o post como fazer um roteiro para sua vídeo aula. Aqui você vai encontrar dicas valiosas para transformar o seu conteúdo presencial em aulas interativas, dinâmicas para cativar seus alunos.

Pesquise

A segunda dica é faça uma boa pesquisa antes de dar a primeira aula. Não fique no nível raso de conhecimento. O que percebo hoje é que algumas pessoas que tem muita informação, mas quando vão expor o conteúdo acabam caindo no senso comum. Ou seja, acabam falando o que todo mundo fala. Vivemos na era da informação, onde tudo está disponível para todos. Você precisa ter um diferencial. É o que eu chamo de “a sua voz”. O que viria a ser isso? A sua voz é uma característica sua própria, o seu jeito. Não somente na maneira de falar, mas no seu discurso, seu posicionamento. Se você fala o que todo mundo fala, da mesma maneira que todo mundo fala, certamente você não vai conseguir segurar sua audiência até o final do vídeo. Seu objetivo quando for compartilhar conhecimento através de vídeo aula é por uma pulga atrás da orelha de quem está te assistindo. É necessário levar o aluno a pensar e não apenas engolir o conteúdo. Essa é uma das vantagens de vídeo aula. A promoção da interatividade. Dessa maneira o aluno vai se empolgar a aprender e procurar a referência que você citou e como construiu sua linha de raciocínio. Isso só é possível quando você faz uma pesquisa bem aprofundada sobre algum assunto.

Execute

A palavra de ouro na produção de conteúdo em vídeo é periodicidade. É isso o que faz com que youtubers como Felipe Neto, Whindersson Nunes e Felipe Castanhari sejam um sucesso de visualização. O público deles sabe que no dia tal, na hora tal eles vão ter um conteúdo novo para consumir. Conquistar os primeiros alunos não é uma tarefa mega complicada. Muitos deles podem vir pela sua boa estratégia de marketing e outros pela curiosidade. Seu desafio é fazer com que eles queiram assistir a próxima aula. Torne seu vídeo uma aula mais atrativa não somente pelo preço, mas principalmente pelo conteúdo. O primeiro contato visual com a também é muito importante. Se sua plataforma tiver uma cara de produção amadora, uma parte dos seus potenciais novos leads (alguém que deixa um contato para ter mais informações sobre seu produto ou serviço) já vão pro ralo. Para arrebatar o coração do seu aluno logo no primeiro contato com a sua plataforma, não deixe de ler o artigo Design para uma Plataforma EAD Irresistível! . Esse material é fundamental para impressionar logo de início, então a dica é: faça cada aula valer a pena.

DICAS TÉCNICAS

Equipamentos

O seu investimento em equipamentos, inicialmente não precisa ter o mesmo orçamento de uma produção de Hollywood. Tudo que você precisa, são de bons equipamentos para garantir a qualidade da produção. E falando em qualidade, nem sempre quem tem o melhor equipamento é quem produz o melhor conteúdo. Tudo é uma questão de bom senso e bom gosto. Hoje é possível começar a produzir conteúdo até com bons smartphones. Duvida? Então assista esse trailer do filme UNSANE gravado com um Iphone.

Para você que acha que é necessário gastar rios de dinheiro, a dica é procurar equipamentos de qualidade em alguns sites de e-commerce. Dá para encontrar muita coisa boa gastando bem pouco. E foi pensando em você que está começando, que nós daqui da EADBOX escrevemos um artigo sobre Gravador de voz online: conheça as ferramentas mais usadas e também fizemos uma lista com as 11 câmeras para gravar vídeos que separamos para você: das mais em conta às mais profissionais para te ajudar a começar a produzir as suas primeiras aulas. Nesses artigos você vai ver que ter força de vontade é mais importante que ter os melhores equipamentos.

Softwares

Posso falar com propriedade sobre esse tema porque trabalhei em TV por seis anos. Quando eu entrei nesse mercado existiam aqueles profissionais que nós chamávamos de “os caras da edição”. Só eles mexiam nos equipamentos. Isso porque as emissoras gastavam uma grana com softwares. Também tinha o valor agregado das máquinas que custavam os dois olhos da cara. Não existiam muitas alternativas de ferramentas. Era o Final Cut da Apple que era a perfeição, ou o Movie Maker da Microsoft que era a ferramenta mais caseira pra editar coisas bem básicas.

Dá pra ver que editar vídeo não era uma tarefa muito fácil. Não existiam muitos tutoriais no Youtube e quem sabia, ou não queria ou não tinha muito tempo para ensinar. Hoje temos várias alternativas gratuitas e de qualidade. Deixo abaixo um top 5 com os melhores softwares gratuitos para você começar a editar suas video aulas.

1 – DaVinci Resolve 15: Ferramentas revolucionárias para edição, efeitos visuais, gráficos em movimento, correção de cores e pós-produção de áudio reunidas em um único aplicativo.
Link pra Dowload: https://bit.ly/2BOdDdP

2 – Filmora: Edição de vídeo simplificada. Crie vídeos incríveis com facilidade usando o Filmora e vasta gama de poderosas ferramentas de edição.

Link para Dowload: https://bit.ly/2OGtMrf

3 – Hitfilm Express: Uma ferramenta gratuita para editar e fazer composições.

Link para Dowload: https://bit.ly/2vRw8fU

4 – Lightworks: Um pacote completo de criação de vídeos. Lightworks vem carregado com esses recursos incríveis.

Link para Dowload: https://bit.ly/1I7Qym2

5 – Shotcut: O Shotcut é um editor de vídeo multiplataforma gratuito e de código aberto.

Link para Dowload: https://bit.ly/2aKLiZP

Graças a evolução da tecnologia e a iniciativa de desenvolvedores de ferramentas de código aberto (open source), hoje você tem muitas alternativas para melhorar a qualidade técnica do seu conteúdo. Eu poderia escrever um post do tipo: “22 ferramentas para gravar e editar vídeo aulas”, mas a galera aqui EADBOX já fez isso. É só clicar no link e escolher a que mais se adapta ao seu fluxo de trabalho.

 

DICAS ESTRATÉGICAS

 

Seja uma referência

Jacques Delors, ex – presidente da comissão Europeia da UNESCO, coordenou uma pesquisa sobre educação em 1999, que resultou na criação de uma metodologia de ensino que ficou conhecida como “Quatro pilares da educação”. De acordo com o estudo, esses quatro passos são fundamentais para o desenvolvimento da aprendizagem de qualquer pessoa.

São eles:

  • Aprender a conhecer (adquirir instrumentos da compreensão)
  • Aprender a fazer (para poder agir sobre o meio envolvente)
  • Aprender a conviver (cooperação com os outros em todas as atividades humanas)
  • Aprender a ser (conceito principal que integra todos os anteriores)

habilidades_socioemocionais_4_pilaresO quarto pilar dessa metodologia de aprendizagem é fundamental para que você se torne autoridade em determinado assunto. Aprender a ser é o desenvolvimento da auto aceitação como indivíduo, reconhecendo sua própria inteligência, senso crítico, senso de responsabilidade individual e a sensibilidade com relação a um determinado tema. Traduzindo para uma forma mais simplificada, podemos entender esse conceito como se assumir como referência para ensinar algo. Muito cedo aprendi uma lição que levo por toda minha vida. O pensamento é que “ninguém é tão néscio que não possa ensinar, assim como ninguém é tão sábio que não possa aprender”. Ainda que você saiba muito pouco sobre um assunto, comece a ler e falar sobre ele, isso vai fazer de você uma autoridade no tema. Dessa forma o seu conteúdo se torna cada vez mais relevante.

Bote a cara no sol

Mostre o que você faz. Com a democratização das ferramentas de comunicação como as redes sociais, muita gente que anos atrás não teriam espaço nos grandes meios tradicionais como jornal impresso, rádio ou televisão, hoje tem. Temos inúmeras plataformas que possibilitam o compartilhamento do seu conteúdo. Na plataforma que temos aqui na EADBOX por exemplo, temos vários tipos de pessoas que vendem conteúdo para diversos públicos. Temos músicos, artesãos, educadores financeiros, cake designer, tem até curso de design de sobrancelha. Essa multidisciplinaridade de assuntos e infinidade de temas é o que faz com que o conhecimento se multiplique. Talvez, o conteúdo que você vai produzir supra a necessidade de alguém que tem o mesmo gosto que o seu. Por isso é importante deixar de lado a síndrome do impostor e começar a dar a cara a tapa. Nesse processo virão muitos feedbacks positivos e também negativos. Especialmente os negativos devem ser encarados como oportunidades de melhoria na qualidade do seu produto ou serviço. E se tratando de vídeo, lembre que você não é o apresentador do jornal da noite, você é você. Aceite e curta isso. Esse pode e deve o seu grande diferencial estratégico. Para finalizar, nunca esqueça que a primeira pessoa a acreditar no seu próprio trabalho é você mesmo.

Tempo dos vídeos

Conquistar e manter a atenção em sala de aula é o maior desafio dos professores atualmente. Presencialmente ou virtualmente, os educadores disputam a atenção dos alunos com smartphones, tablets e laptops, por isso cada minuto vale ouro. Como já falamos acima, o modelo de audiovisual que educa as pessoas atualmente são as redes sociais. Goste ou não, são elas que determinam o padrão audiovisual. Não é à toa que boa parte dos vídeos são conteúdos rápidos e objetivos, acompanhando uma geração que assiste uma vídeo aula enquanto ouve música, checa as mensagens no celular ao mesmo tempo que faz uma foto. Para tentar compreender como o vídeo ajuda essa nova geração a aprender com conteúdo audiovisual, o site Wistia realizou um estudo em 2016 para saber Quão longo o seu vídeo deve ser?. O estudo mostrou que vídeos com mais de 3 minutos tendem a ter uma queda nas visualizações e uma redução de 10% da taxa de engajamento.

Veja o gráfico abaixo.

Engajamento

Para sua vídeo aula não ficar muito cansativa, a dica é dividir o todo em várias partes iguais. Se você tem aula de 50 minutos, é interessante você dividir ela em 5 aulas de 10 minutos cada. Além de multiplicar o seu conteúdo você pode aumentar a capacidade de retenção, despertando no aluno o desejo de ver a próxima aula

CONCLUSÃO

Ter um conteúdo em vídeo é a grande tendência de aprendizagem no momento. Quando essa estratégia pedagógica é aplicada em conjunto de outras ferramentas como livros físicos e ebooks só potencializam o aprendizado dos alunos. Não somente por causa da ferramenta audiovisual em si, mas também pela qualidade e profundidade do seu conteúdo.

Agora que você já entendeu como é importante ter um conteúdo em vídeo é só planejar, gravar e compartilhar.

Demonstração 1

demonstração


Categorias