Ninguém duvida que os treinamentos são essenciais para o desenvolvimento de talentos dentro da uma organização. Mas, e se você pudesse criar treinamentos que tivessem maior engajamento e menor custo? Esse formato já existe. É o microlearning.

No entanto, para ter sucesso, você precisa conhecer detalhadamente o que é microlearning e como aplicá-lo corretamente. Se fizer direito o dever de casa, você estará colocando a sua empresa na posição de vanguarda no mercado. Isso porque vários estudos garantem que microlearning é uma das tendências na área de treinamentos.

Mas o que é microlearning?

Trata-se de uma forma de ensino online de curta duração, fácil entendimento e que é focado em um único objetivo. Cada peça se basta sozinha, mas podem haver várias outras em torno de um conteúdo macro.

Microlearning é usado, principalmente, na educação e treinamentos corporativos. Por exemplo, um hospital pode elaborar um vídeo de no máximo cinco minutos, ensinando os funcionários sobre a importância de lavar e higienizar corretamente as mãos.

Quer outro exemplo? Prepare um tour online pelas dependências da empresa e disponibilize-o para todos os funcionários que estão chegando. Esse vídeo pode ser uma parte do processo de integração dos novatos.

As opções são incontáveis. E não se limitam ao meio empresarial.

Por que microlearning é uma tendência?

Nos dias atuais, tempo é moeda de ouro. Cada vez mais, as pessoas têm menos tempo,

Só para se ter uma ideia, pesquisa recente realizada pela Vooozer, empresa de Áudio Marketing, apontou que 83% das pessoas não dão conta de ler tudo o que gostariam na internet. E tem um agravante: esse percentual subiu em relação ao ano anterior – era de 73%.

No entanto, enquanto o tempo vai ficando mais curto para as pessoas, as cobranças por produtividade e as responsabilidades dentro das empresas permanecem nas alturas.

No entanto, é preciso conciliar a falta de tempo, pressões e necessidade de acompanhar as mudanças, atualizar-se e adquirir novos conhecimentos e habilidades. E os treinamentos tradicionais não atendem essas demandas.

O microlearning, por outro lado, encaixa-se perfeitamente nesse cenário: é curto, direto e disponível em qualquer momento, em todos os dispositivos.

Junto com essa turma super ocupada, existe a galera Millennials que está chegando no mercado de trabalho agora. Trata-se de uma geração com um tempo de atenção médio de 90 segundos.

Mas é também  uma galera que valoriza o formação contínua. Um estudo realizado pela empresa Deloitte mostrou que 22% dos Millennials preferem ter formação como um dos seus benefícios, do que prêmios monetários.

Isso também coloca o aprendizado no formato microlearning em posição privilegiada.

Você ganha e o seu cliente também

Agora que você sabe o que é microlearning, é hora de entender um pouco mais sobre as principais vantagens desse formato de ensino a distância. Um formato em que todo mundo sai ganhando. Vamos lá:

Vantagens para você

Agilidade de produção: vapt-vupt – é mais ou menos assim. Um microlearning pode ficar pronto e disponível para os alunos em poucos dias, enquanto que, em um treinamento normal, esse processo leva até meses para ser concluído.

Economia: estamos falando de um formato bem curto, portanto, mais barato. Uma câmera, um microfone, um espaço bacana e algumas horas de preparação são o necessário para criar um vídeo curto ensinando o tópico escolhido.

Facilidade de atualização: exatamente por ser micro, qualquer atualização é mais fácil de ser executada. E ainda, existe a possibilidade de substituição ou retirada (definitiva ou temporária) sem comprometer os demais conteúdos.

Aumento de autoridade: os vídeos podem ser pagos ou podem fazer parte de uma estratégia de divulgação no Youtube, por exemplo.

Vantagens para o seu cliente

Rapidez: uns trabalham demais e outros não conseguem focar nos estudos por muito tempo… Todo esse pessoal realmente precisa de um treinamento bem direcionado e curto para viabilizar atualização de conhecimento.

Informações específicas e direcionadas: a principal vantagem nesse caso é que o micro aprendizado fornece apenas a informação necessária para realizar o trabalho, ou seja, tudo na dose exata.

Produtividade: se o tempo de treinamento é menor, isso significa que o funcionário pode se dedicar mais ao trabalho e evitar que as tarefas se acumulem em cima da mesa – ou na agenda eletrônica.

Hora certa: o formato microlearning permite que a pessoa acesse o treinamento exatamente no momento que ela precisar daquela informação. E tudo pode ser colocado em prática imediatamente.

Mobilidade: um treinamento microlearning pode ser acessado em micro, tablet ou smartphone. Ou seja, quando e onde a pessoa precisar.

Personalização: a possibilidade de elaborar material microlearning sob medida para um público específico é outra grande vantagem. Assim, seu cliente pode segmentar os públicos dele e preparar treinamentos que atendem diferentes necessidades.

Formatos variados: os treinamentos de microlearning são disponibilizados em forma de vídeos, podcasts, animações, infográficos, games, cases, pequenas simulações etc. Esses recursos favorecem o engajamento e, consequentemente, refletem na assimilação das informações.

Quando usar um microlearning no ambiente corporativo

Tão importante quanto saber o que é o microlearning é usá-lo corretamente. Existe uma gama enorme de situações. Nós separamos 3 exemplos:

1 – Para cobrir uma deficiência de comunicação. Por exemplo, vamos voltar ao hospital. Os indicadores hospitalares apontaram que o índice de transmissão de infecção subiu e a direção precisa reforçar a conscientização das equipes sobre as formas de prevenir o problema.

Você se lembra daquele vídeo sobre como e quando lavar as mãos, que citamos no início do post. Esse é um bom momento para usá-lo. E pode ter uma série de outras peças, com temas diferentes, mas dentro de um conteúdo macro que, nesse caso, é o controle da infecção hospitalar.

2 – Para complementar o treinamento tradicional: quando a empresa quer reforçar alguns conceitos ou orientações, o microlearning funciona muito bem. Eles são disponibilizados após um treinamento normal.

Por exemplo, uma indústria promove internamente uma semana de prevenção de acidentes. Após o evento, disponibiliza para os empregados vários pequenos vídeo sobre cuidado com as mãos, trabalho em altura, trabalho em ambiente confinado etc.

3 – Para criar um acervo de informações. Nesse caso, é preparada uma série de peças curtas sobre um conteúdo específico e a pessoa pode acessá-la, quando e onde quiser, no seu próprio ritmo.

O principal foco desses materiais e tirar dúvidas das pessoas. Por exemplo, uma empresa que instala um software novo pode elaborar uma série de material explicativo sobre as diferentes funcionalidades, como usar etc. O funcionário acessa o módulo que quiser, quando tiver alguma dificuldade.

Planejamento em primeiro lugar

Não é porque as peças são pequenas e mais baratas que você vai preparar um monte de vídeos, podcast etc e sair distribuindo tudo aleatoriamente. Não é bem assim. No mundo dos negócios, planejamento é a chave para o sucesso.

O trabalho deve começar com um objetivo claro. Defina exatamente o que você quer alcançar e ajuste o seu foco nessa direção. E lembre-se de que a tecnologia disponível lhe permite diversificar as suas mídias.

Isso quer dizer que você pode flexibilizar, como já foi mencionando, lançando mão de vídeos, podcasts, infográficos etc. Alternar as mídias é uma estratégia para prender a atenção e o interesse das pessoas no assunto em questão.

Todas as mídias têm as suas vantagens e, ao fazer a opção por qual delas usar, é muito importante ficar atento ao seu público. Por exemplo, vídeos funcionam super bem para o pessoal jovem – os Millennials, em especial.

Aliás, os vídeos sempre aparecem como uma boa opção, mas são os microvídeos que vêm conquistando terreno cada vez maior na formação EAD.

Gamificação também tem garantindo espaço em diversos setores de negócio. Vem sendo empregada como estratégia de envolvimento e motivação dos funcionários com os treinamentos.

Independentemente das mídias a serem utilizadas, invista pesado na qualidade da informação. Porque não vai adiantar nada pra você ter uma série de peças lindas no formato microlearning, se o conteúdo delas não for relevante para o seu público-alvo.

Escolha a sua ferramenta

Depois de definir o seu propósito e o planejamento geral, é hora de fazer acontecer. O primeiro passo é escolher a ferramenta de criação de conteúdo e-Learning, onde você pode criar um modelo básico para todos os dispositivos e navegadores.

Uma boa ferramenta EAD e-learning é aquela completa, que lhe permite criar o seu próprio

conteúdo online e disseminá-lo pela internet, sem barreiras físicas e de fácil acesso para os seus clientes e público-alvo. A Eadbox é uma delas.

Então, o que está esperando para entrar no ritmo do microlearning? Nós, da Eadbox estamos aqui para apoiá-lo em todas as etapas do seu processo. Mas se você já disponibiliza esse formato de aprendizagem EAD, que tal compartilhar conosco as suas experiências!


Categorias